Notícias importantes

15/05/2011 – Cruzeiro vence o Atlético por 2 a 0 e é o campeão mineiro de 2011

Time celeste joga no ataque e derrota o arquirrival na Arena do Jacaré

Rodrigo Fonseca – Superesportes

Na Arena do Jacaré totalmente tomada pelos torcedores do Cruzeiro, a festa foi azul. O time da Toca da Raposa, que vinha de eliminação precoce na Copa Libertadores e que perdeu o confronto de ida para o Galo por 2 a1, mostrou poder de reação, jogou para ser campeão mineiro e alcançou o objetivo neste domingo, ao vencer por 2 a0. Aretranca atleticana suportou até aos 30 minutos do segundo tempo, quando Wallyson abriu o placar. Aos 41, Gilberto selou a conquista.

Defesas levam a melhor nos 45 minutos iniciais

Como já era esperado, coube ao Cruzeiro buscar o ataque. Com maior movimentação e imprimindo velocidade, o time da Toca da Raposa ameaçou mais. Porém, pouco espaço encontrou para finalizar.

Já o Atlético não foi bem ofensivamente. Diferentemente do prometido durante a semana, o Galo não foi agressivo. Recuado, o Galo segurou o rival, mas não acertou a ligação entre o meio-campo e o ataque.

Nos primeiros 20 minutos, ninguém conseguiu concluir com perigo. A primeira chance só surgiu aos 22 minutos, quando Thiago Ribeiro cruzou e Roger completou. O goleiro atleticano Renan Ribeiro defendeu. A resposta do Atlético foi com Mago Alves, mas o chute saiu longe do gol. O Cruzeiro continuou em cima. Numa cobrança de falta de Roger, Renan Ribeiro fez outra boa defesa.

Somente aos 32 minutos, o Galo encaixou um contragolpe. Renan Oliveira lançou Magno Alves, que foi travado no momento da finalização.

Ao final do primeiro tempo, o armador Roger analisou o jogo: “A gente sabia que ia encontrar isso. Estamos jogando contra um paredão, temos que martelar para ver se uma hora a gente quebra o paredão. Temos mais 45 minutos para fazer o gol”, disse.

Já o meia-atacante Mancini destacou: “Não jogamos bem na parte ofensiva, defensivamente fomos bem”, disse. “Agora temos de manter a posse de bola, mostrar tranquilidade e personalidade no segundo tempo.”

Prêmio ao time que buscou o título

O Atlético voltou com duas alterações. Saíram Renan Oliveira e Mancini para as entradas de Leleu e Richarlyson. Mas a postura continuou defensiva.

Já o Cruzeiro foi só ataque. Lamentou dois lances. Aos seis minutos, depois do escanteio, Gil cabeceou e a bola saiu raspando. Cinco minutos depois, Thiago Ribeiro rolou para Roger, que bateu rente à trave.

Mesmo recuado, o Atlético teve chances, ambas com Magno Alves, aproveitando erros da defesa celeste. Na primeira, ele chutou forte e Fábio defendeu. Na segunda, aos 28 minutos, a melhor oportunidade da partida. O atacante recebeu livre, cara a cara com Fábio, mas demorou a chutar, perdendo a bola.

Dois minutos depois, o Galo pagou caro. De tanto insistir, o Cruzeiro foi premiado. Wallyson fez boa jogada e bateu no canto para abrir o placar e explodir a Arena do Jacaré totalmente tomada por cruzeirenses.

A partir daí, o jogo mudou. O Atlético foi para o ataque e o Cruzeiro armou o contragolpe. Os celestes por pouco não ampliaram, aos 35, quando Wallyson chutou forte e Renan Ribeiro espalmou. Aos 41 minutos, Serginho fez falta dura em Thiago Ribeiro e, já amarelado, acabou expulso.

No minuto seguinte, o Cruzeiro selou sua conquista. Na cobrança de falta, Gilberto mandou a bomba e a festa azul tomou conta da Arena. Nem mesmo a expulsão de Gilberto, aos 44 minutos, diminuiu a alegria cruzeirense. Depois de substituído, Roger também recebeu o cartão vermelho. Final: 2 a 0.

CRUZEIRO 2 X 0 ATLÉTICO

CRUZEIRO: Fábio; Leandro Guerreiro, Victorino, Gil e Everton (André Dias, 18min 2ºT); Marquinhos Paraná, Henrique (Fabrício, 27min 2ºT), Roger (Leo, 32min 2ºT) e Gilberto; Thiago Ribeiro e Wallyson –  Técnico: Cuca

ATLÉTICO: Renan Ribeiro; Patric, Réver, Leonardo Silva e Guilherme Santos (Bernard, 13min 2ºT); Serginho, Fillipe Soutto, Giovanni e Renan Oliveira (Leleu, intervalo); Magno Alves e Mancini (Richarlyson, intervalo) – Técnico: Dorival Júnior

Motivo: Joga de volta da decisão do Campeonato Mineiro
Estádio: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas
Data: 15 de maio de 2011

Gols: Wallyson, 30min 2ºT, Gilberto, 41min 2ºT

Árbitro: Wilson Luiz Seneme (Fifa-SP) / Assistentes: Emerson de Augusto Carvalho (Fifa-SP) e Marcelo Carvalho Van Gasse (Fifa/SP)

Cartão amarelo:
Leonardo Silva, Mancini, Bernard (ATL); Victorino, Gil, Gilberto, Leandro Guerreiro (CRU)

Cartão vermelho: Serginho (ATL); Gilberto, Roger (CRU)

_____________________________________________

 08/04/2011 – Cruzeiro tem a melhor campanha da Libertadores 2011

Da Toca II – Rômulo Fegalli

A campanha do Cruzeiro na Copa Santander Libertadores 2011 é a melhor dentre os 32 clubes participantes da principal competição continental, em todos os aspectos. O time celeste lidera o Grupo 7 com 13 pontos e só depende de suas próprias forças para encerrar a fase classificatória no primeiro lugar geral do torneio. Em tempo: a Raposa já garantiu sua vaga às oitavas de final, com duas rodadas de antecedência.

O Melhor Clube Brasileiro do Século XX tem o desempenho mais elevado no que tange ao número de pontos conquistados, a invencibilidade e porcentagem, além da superioridade ofensiva e defensiva. A equipe cinco estrelas é a que mais pontuou (13 pontos), seguida por Junior Barranquila-COL (12 pontos), do Grupo 2 e Libertad-PAR (11 pontos), da Chave 1.

A Raposa também está entre os únicos três times que permanecem invictos na competição sul-americana. Além do Cruzeiro, apenas as equipes paraguaias Cerro Porteño, do Grupo 5 e Libertad ainda não foram derrotados nesta edição da Libertadores. No entanto, o clube mineiro tem uma campanha melhor, com quatro triunfos e um empate, enquanto o Cerro tem a mesma quantidade de vitórias e empates: dois. E o Libertad venceu três vezes e igualou o placar duas.

A média percentual do Cruzeiro também é a mais alta, com um aproveitamento de 86,66%. Abaixo estão Junior Barranquilla-COL e o Libertad-PAR, com 80% e 73,3%, respectivamente. O que prova a supremacia azul e branca na edição corrente da Libertadores, até aqui.

A grande fase vivida pelo Cruzeiro, que levou a Raposa a ter tão incontestável campanha na Libertadores, é analisada pelo lateral-direito Pablo. O jogador considera fundamental que a equipe estrelada consiga vencer seu último compromisso na etapa classificatória da competição continental (contra o Estudiantes-ARG), para se manter como líder geral e levar vantagem no mata-mata.

“É muito importante para manter o bom momento. Nada melhor que manter o bom momento com vitória. Tanto agora na Libertadores, que já estamos classificados, quanto no Mineiro. Se conseguirmos vencer esses dois jogos, mesmo estando classificados nas duas competições, será importante para chegarmos nas fases finais bem encorpados, com espírito de vitória. É importante vencer lá (na Argentina), para garantir o primeiro lugar geral e chegar nas outras etapas mais confiante”, observou.

Para fortalecer ainda mais a campanha cinco estrelas, O Cruzeiro ostenta o melhor ataque do torneio, com 17 gols marcados e também a defesa menos vazada, tendo sofrido apenas um gol.

http://www.cruzeiro.com.br

_____________________________________________

05/04/2011 – Cruzeiro obtém melhor ataque entre times da elite do futebol brasileiro

Da Toca II – Rômulo Fegalli

A temporada 2011 tem sido realmente arrebatadora para o Cruzeiro, até aqui. O Melhor Clube Brasileiro do Século XX conquistou a classificação antecipada nas duas competições que disputa atualmente (Campeonato Mineiro BMG e a Copa Santander Libertadores) e vem exibindo um futebol de alto nível. A Raposa já ostenta o ataque mais eficiente dentre todos os times da elite do futebol nacional, no quesito média de gols.

O Cruzeiro disputou 15 partidas no ano, entre Estadual e Libertadores, acumulando 12 vitórias, dois empates e apenas um revés. Destaque para o ataque celeste, que fuzilou as redes inimigas 45 vezes. Com esses números, a linha de frente da Raposa atinge a média de três tentos anotados por jogo, a melhor entre os vinte times que compõe a série A da principal competição do país: o Campeonato Brasileiro.

Do ponto de vista quantitativo, o Cruzeiro também está entre os clubes com maior poder de fogo, levando em conta os integrantes da elite do futebol brasileiro. Apenas o Coritiba, Grêmio e Atlético-PR balançaram as redes mais que a equipe mineira em 2011, 60, 50 e 46 tentos respectivamente, no entanto, esses times fizeram mais jogos que a Raposa: 22, 23 e 21, na ordem.

Os principais responsáveis pelo elevado número de gols marcados pelo time celeste são Thiago Ribeiro, Wallyson e Montillo. Juntos, os três jogadores balançaram as redes adversárias em 24 oportunidades, 53,33% dos tentos anotados. Ribeiro acumula 11 gols e é o artilheiro azul na temporada, Wallyson fez oito e o craque argentino, cinco.

O desempenho ofensivo da equipe estrelada é tão incontestável que, cinco dos 15 jogos foram vencidos com placares elásticos. A Raposa já aplicou três goleadas na Libertadores e duas no torneio estadual. 33,33% dos jogos tiveram resultados de encher os olhos, em favor do Cruzeiro.

Defesa também brilha

A qualidade da equipe cinco estrelas não se restringe apenas ao setor ofensivo. A defesa do Cruzeiro também se destaca por sua solidez e eficácia nos jogos, tendo sido superada apenas nove vezes, o que dá a média de 0,6 gols por jogo, considerando os 15 desafios que a Raposa teve até então. Hoje, a segunda melhor zaga do Brasil é azul e branca, ficando atrás apenas do Palmeiras, que levou oito gols em 20 duelos, média de 0,4.

Vale ressaltar que, dos 15 confrontos do Melhor Clube Brasileiro do Século XX nesta temporada, em dez a defesa estrelada permaneceu ilesa, ou seja, o Cruzeiro passou 66,66% de suas partidas disputadas em 2011 sem sofrer sequer um gol.

Confira a campanha do Cruzeiro até o momento

Jogos – 15 (dez pelo Mineiro e cinco pela Libertadores)
Vitórias – 12 (oito pelo Mineiro e quatro pela Libertadores)
Empates – 2 (um em cada competição)
Derrotas – 1 (pelo Mineiro)
Gols pró – 45 (28 pelo Mineiro e 17 pela Libertadores)
Gols contra – 9 (oito pelo Mineiro e um pela Libertadores)
Saldo – 36

Jogos sem sofrer gols:

Cruzeiro 3 x 0 Caldense
Villa Nova 0 x 1 Cruzeiro
Cruzeiro 5 x 0 Estudiantes (ARG)
Cruzeiro 2 x 0 Ipatinga
Cruzeiro 4 x 0 Guarani (PAR)
Deportes Tolima (COL) 0 x 0 Cruzeiro
Tupi 0 x 0 Cruzeiro
Cruzeiro 7 x 0 Democrata-GV
Cruzeiro 3 x 0 Funorte
Guaraní (PAR) 0 x 2 Cruzeiro

Veja também as goleadas azuis em 2011

Cruzeiro 5 x 0 Estudiantes (ARG)
Cruzeiro 4 x 0 Guarani (PAR)
Cruzeiro 7 x 0 Democrata-GV
Cruzeiro 6 x 1 Deportes Tolima (COL)
Cruzeiro 4 x 1 Guarani

http://www.cruzeiro.com.br

_____________________________________________

06/07/2010 – Montillo chega no Cruzeiro

Bruno Furtado e Gilmar Laignier (Portal Uai)

Recepcionado com festa pela torcida no aeroporto da Pampulha, o argentino Montillo concedeu, na tarde desta terça-feira, na Toca da Raposa II, sua primeira entrevista coletiva como jogador do Cruzeiro. Deslumbrado com a possibilidade de jogar no Brasil e impressionado com a Toca da Raposa II, Montillo agradeceu o carinho do torcedor e garantiu que vai buscar seu espaço dentro de campo.

“Para mim é um desafio grande, porque chegar aqui no futebol brasileiro, onde considero que tem os melhores jogadores do mundo, é muito importante para mim, é um avanço na minha carreira. Quero então aproveitar isso. A recepção no aeroporto foi muito linda. Tentei aproveitá-la ao máximo, mas sabendo que tenho que fazer as coisas bem, para a equipe ir bem”.

O meia relembrou outros argentinos que fizeram sucesso no clube e garantiu que vai buscar corresponder às expectativas. “Perfumo e Sorín fizeram coisas boas aqui. Não quero fazer menos. Vou tentar deixar o melhor de mim para que a equipe vá bem. Obviamente que, ser ídolo ou não, quem define é a torcida, ou mesmo vocês (da imprensa). Eu venho para trabalhar e fazer as coisas da melhor forma possível”.

Montillo deixou claro que só conseguirá alcançar o patamar dos grandes jogadores do Cruzeiro se mostrar empenho em campo.“Para ser ídolo no futebol tem que mostrar. Não só com palavra, mas dentro de campo. Tenho que fazer as coisas da melhor forma possível, mas sempre que uma equipe joga bem, as individualidades aparecem. Foi isso que aconteceu no Chile comigo (onde virou ídolo). Aqui, vou buscar o mesmo. Que a equipe jogue bem e que depois a torcida me reconheça como um jogador importante”.

http://www.mg.superesportes.com.br

_____________________________________________

18/06/2010 – Cruzeiro dá espetáculo e goleia NY Red Bull

Henrique Frederico – Site oficial do Cruzeiro (www.cruzeiro.com.br)

Apresentando um belo futebol, o Cruzeiro venceu o New York Red Bull, por 4 x 2, na noite desta sexta-feira, na Arena Red Bull, em Harrison, Nova Jersey, nos Estados Unidos. Essa foi a segunda vitória consecutiva do time estrelado em solo norte-americano.

No último domingo, a Raposa já tinha batido o New England Revolution, por 3 x 0, com três gols de Wellington Paulista, no Gillette Stadium, em Boston.

Os gols do Cruzeiro, nesta sexta-feira, foram marcados por Thiago Ribeiro (2), Wellington Paulista e Cláudio Caçapa. Já o atacante colombiano Juan Pablo Angel e o meio-campista Chinn descontaram para a equipe da casa.

O coordenador técnico Emerson Ávila, que dirigiu o time nos Estados Unidos, manteve o mesmo time que venceu o New England Revolution, no último domingo, em Boston. O Cruzeiro iniciou no esquema 4-3-3, com Robert, Wellington Paulista e Thiago Ribeiro na frente.

O time viaja para Belo Horizonte, na noite deste sábado e deverá chegar a Belo Horizonte no domingo à tarde. Na capital mineira, os jogadores serão liberados e terão uma semana de folga.

NEW YORK RED BULL 2 X 4 CRUZEIRO

Motivo: amistoso
Local: Arena Red Bull, em Harrison-USA
Data: 18/06/2010 (sexta-feira)
Árbitro: Geoff Gamble (USA)
Gols: Thiago Ribeiro aos seis minutos, Juan Pablo Angel aos 31 e Wellington Paulista aos 34 min do primeiro tempo; Cláudio Caçapa aos 1 min e Thiago Ribeiro aos 5 min e Chinn aos 31 min do segundo tempo.

NEW YORK RED BULL: Coundoul (Sutton); Borman, Ream, Petke (Mendes) e Albright (Sassano); Stammler (Agudelo), Tchani, Hall (Chinn) e Lindpere; Ibrahim (Wolyniec) e Angel (Garcia) – Técnico: Hans Backe

CRUZEIRO: Rafael; Jonathan, Gil, Cláudio Caçapa e Diego Renan; Fabrício, Henrique (Marquinhos Paraná) e Roger (Fabinho); Robert (Eliandro), Wellington Paulista (Elicarlos) e Thiago Ribeiro – Técnico: Emerson Ávila

O próximo jogo do time estrelado no Campeonato Brasileiro será no dia 14 de julho, contra o Atlético-PR, na Arena da Baixada, em Curitiba.

(Esse material está liberado para reprodução. Os órgãos de imprensa devem citar o Site Oficial do Cruzeiro como a fonte da informação).

_____________________________________________

14/06/2010 – Perrella diz que Kléber quis sair

Bruno Furtado – Portal Uai (www.mg.superesportes.com.br)

O presidente do Cruzeiro, Zezé Perrella, reagiu com ironia às declarações dadas pelo atacante Kléber nesta segunda-feira, de que só deixou o clube e se transferiu para o Palmeiras devido ao desinteresse da diretoria em mantê-lo na Toca da Raposa II.

Kléber disse à TV Alterosa que sua intenção era continuar no Cruzeiro. “Eu não queria sair, eu não pedi para sair, acho que não era o momento”.

O atacante insinuou que a diretoria queria vê-lo fora do clube e declarou que, ao deixar o Cruzeiro, foi orientado a dizer que era desejo seu voltar ao Palmeiras, de modo que os dirigentes não fossem pressionados pela torcida.

Em contato com as equipes da TV Alterosa e do Superesportes, o presidente cruzeirense mostrou irritação com a postura do jogador e, diante do desejo de Kléber em ficar no Cruzeiro, sugeriu a que ele que volte.

“As portas do Cruzeiro estão abertas, o Palmeiras nem pagou ainda. Se ele quiser voltar, pode voltar. O Kléber está é com medo da torcida do Cruzeiro, por isso é que está dizendo isso. Eu nem queria negociá-lo, pois o negócio não seria bom para o Cruzeiro, só seria bom para ele. Mas, diante da insistência dele, que me atazanou a vida para ser liberado, eu tive que fazer o negócio”, disse. (UAI)

_____________________________________________

14/06/2010 – New York Red Bulls, próximo rival celeste, é um time com jogadores de 14 países

Bruno Furtado – Portal Uai (www.mg.superesportes.com.br)

O New York Red Bulls, próximo adversário do Cruzeiro nos Estados Unidos, nesta sexta-feira, às 20h (horário local), é um dos clubes com maior investimento da Major League e tem em seu elenco uma verdadeira “seleção do mundo”. Se a qualidade de alguns atletas pode ser contestada, em números isso se comprova: ao todo, o clube norte-americano tem 16 estrangeiros, de 14 países diferentes.

O único representante na Copa do Mundo é o zagueiro neozelandês Andrew Boyens. Mas a grande estrela da companhia é o atacante colombiano Juan Pablo Angel, de 34 anos, que defende o clube desde 2007 e já marcou 48 gols.

O elenco do técnico sueco Hans Backe dispõe de mais um colombiano, dois senegaleses, um sul-africano, um georgiano, um ganês, um estoniano, um costarriquense, um dinamarquês, um jamaicano, um gaulês, um canadense, um camaronês e um bósnio.

Dos estrangeiros, seis dividem a titularidade com cinco americanos.

Como meio de melhorar a qualidade da equipe, o New York Red Bulls participa constantemente de amistosos internacionais. A pré-temporada de 2009, por exemplo, foi feita na Argentina. Este ano, o clube já derrotou o Santos (3 a 1), em março, no lançamento da Red Bull Arena, em New Jersey, e o Juventus da Itália (3 a 1), em maio.

_____________________________________________

13/06/2010 – Cruzeiro goleia Revolution em Boston

Bruno Furtado – Portal Uai (www.mg.superesportes.com.br)

O Cruzeiro cumpriu o seu objetivo, goleou o New England Revolution por 3 a 0 neste domingo à noite, no Gillette Stadium, em Foxborough-USA, nos arredores de Boston, em seu primeiro amistoso no Estados Unidos, e deu alegria à grande colônia mineira na região.

Os gols da vitória celeste foram marcados por Wellington Paulista. Thiago Ribeiro foi outra grande figura do Cruzeiro em campo.

Cerca de 15 mil cruzeirenses tomaram todos os setores do estádio e fizeram uma grande festa antes, durante e depois da partida.

Em 14 partidas nos Estados Unidos, a Raposa venceu nove, empatou dois e perdeu três. O time estrelado marcou 28 gols e sofreu 18.

O segundo e último compromisso no país será na próxima sexta-feira, dia 18, em New Jersey, contra o New York Red Bulls, o líder da Conferência Leste da Major League, a liga profissional americana.

New England Revolution: Matt Reis (Bobby Shuttleworth, 10min 2ºT); Kevin Alston, Emmanuel Osei, Cory Gibbs e Seth Sinovic; Pat Phelan, Shalrie Joseph, Kano Smith (Kenny Mansally, 30min 1ºT) e Zak Boggs (Chris Tierney, 38min 2ºT); Marko Perovic (Steve Ralston, 28min 2ºT), Zack Schilawski (Kheli Dube, 10min 2ºT). Técnico: Stephen Myles.
Cruzeiro: Rafael (Flávio, 44min 2ºT); Jonathan (Marquinhos Paraná, 32min 1ºT), Gil, Cláudio Caçapa e Diego Renan (Hyago, 38min 2ºT); Henrique (Fabinho, 44min 2ºT), Fabrício (Pedro Ken, 23min 2ºT) e Roger (Eber, 38min 2ºT); Robert (Elicarlos, 12min 2ºT), Wellington Paulista (Kieza, 42min 2ºT) e Thiago Ribeiro (Eliandro, 42min 2ºT). Técnico: Émerson Ávila.

Gols: Wellington Paulista, 24min 1ºT, 3min 2ºT e 38min 2ºT.

_____________________________________________

12/06/2010 – Cruzeiro encara o New England Revolution em amistoso internacional

Henrique Frederico – Site oficial do Cruzeiro (www.cruzeiro.com.br)

O Cruzeiro enfrentará o New England Revolution neste domingo, às 20h (horário de Brasília), em Foxborough-USA, no Gillete Stadium, em amistoso internacional. Será a primeira partida do time estrelado com uma equipe norte-americana em toda a sua história.

Apesar de viajar com uma equipe forte, o Cruzeiro não poderá contar com três jogadores que passaram por cirurgia recentemente. O goleiro Fábio e os zagueiros Thiago Heleno e Leonardo Silva estão em Belo Horizonte se recuperando das intervenções cirúrgicas.

Nas vezes que atuou nos Estados Unidos, a Raposa encarou equipes da Alemanha, Portugal, Guatemala, Argentina e México.

Entre 1972 e 1980, o Cruzeiro disputou 13 partidas dentre amistosos e torneios nos Estados Unidos. O retrospecto é favorável com oito vitórias, dois empates e três derrotas. O time azul e branco marcou 25 gols e sofreu 18.

(Esse material está liberado para reprodução. Os órgãos de imprensa devem citar o Site Oficial do Cruzeiro como a fonte da informação).

_____________________________________________

09/06/2010 – Cuca chega ao Clube com respaldo e confiante

João Marcos Dias – Site oficial do Cruzeiro (www.cruzeiro.com.br)

O técnico Cuca foi apresentado nesta quarta-feira como o novo comandante do Cruzeiro, em empreitada prevista para durar ao menos até 31 de dezembro de 2011, período de vigência do contrato. O treinador recebeu do presidente Zezé Perrella carta branca para levar adiante o projeto de conquista do Campeonato Brasileiro este ano.

O dirigente confia que, no Cruzeiro, Cuca ampliará o rol de conquistas como treinador, que até aqui registra o título do Campeonato Carioca 2009 pelo Flamengo.

“Os títulos que ele ainda não conseguiu vencer no futebol, tenho certeza que aqui vai conseguir. Poucos clubes do Brasil dão o respaldo necessário ao treinador. Ele está à vontade para definir grupo. A opinião dele vai ser fundamental em toda contratação”, disse.

Cuca desembarcou em Belo Horizonte no final da manhã e almoçou na Toca da Raposa II. Vieram com ele o preparador físico Robson Gomes e os auxiliares técnicos Avlamir Stival, o Cuquinha, e Eudes Pedro dos Santos. Ainda não está definido quem será o novo preparador de goleiros do time profissional, em substituição a Oscar Rodriguez.

Ao lado do presidente, do vice-presidente de futebol Gustavo Perrella e do diretor de futebol Dimas Fonseca, Cuca concedeu a primeira entrevista coletiva como técnico do Cruzeiro. Zezé Perrella disse ter colhido com os colegas de outros clubes as melhores informações sobre o novo contratado e não tem dúvida de que fez a coisa certa.

“O que vai interessar daqui para frente para a gente são os resultados. Estou muito convicto da escolha que fizemos”, resumiu o dirigente.

Cuca alimentava um sonho antigo de comandar o Cruzeiro e espera retribuir a confiança nele depositada. Ele entende que “precisa de um trabalho a longo prazo”, como é costume no Clube, vide os dois anos e meio de Adilson Batista à frente do time.

“Sabemos que o Cruzeiro recente é vitorioso, ganhador. Claro que toda grande equipe passa por um mau momento e isso está sendo vivenciado. Mas com essa parada a gente tem tudo para dar uma retomada e iniciar bem o segundo semestre, como o presidente falou, em busca do título Brasileiro”, observou.

O treinador acredita ter um estilo de montar equipes que se encaixa na tradição do Cruzeiro, de toque de bola, futebol bem jogado. Ele espera seguir a mesma toada na Toca da Raposa.

“Eu gosto do futebol bem jogado, com equilíbrio, mas com comprometimento. O jogador não precisa ser um grande marcador, mas tem que saber diminuir o espaço, passar a linha da bola, e o Cruzeiro tem feito bem isso. A ideia é aproveitar tudo de bom que o Adilson deixou, e foram muitas coisas, e seguir em frente, lógico que com a minha mentalidade”, disse.

Cuca chega com muito trabalho pela frente. O Clube tentará agilizar ao máximo a retirada do visto para os Estados Unidos para que ele tenha como se juntar à delegação, que segue viagem na noite desta quarta-feira. Ao mesmo tempo em que quer se familiarizar com o elenco, o técnico atuará nos bastidores, ajudando a reforçar o time.

“Quanto mais fortalecida a equipe estiver, melhor, porque o pessoal aprendeu a disputar o Campeonato Brasileiro desde o começo. Antigamente era deixado para a segunda etapa. Hoje não. Você não pode perder tempo. Nessa parada vai dar para mesclar tudo. Quem tem que contratar, se tiver que sair alguém o momento é agora. É trabalhar”, afirmou.

O treinador acredita que terá tempo de implantar a filosofia de trabalho durante a paralisação do Campeonato Brasileiro, que só volta a ser disputado em 14 de julho, em virtude da Copa do Mundo.

“Acho que está bem planejado. O Cruzeiro sai para jogar nos Estados Unidos pelo período de dez dias e retorna. Lógico que, como todas as outras equipes, tem que dar uma caída na parte física, para depois retomada. Nós vamos ter um tempo menor, uma semana. A partir dali, temos duas semanas para trabalhar bem para começar o segundo semestre”, destacou.

(Esse material está liberado para reprodução. Os órgãos de imprensa devem citar o Site Oficial do Cruzeiro como a fonte da informação).

_____________________________________________

07/06/2010 – Cruzeiro encerra ciclo no velho Mineirão com balanço positivo

Gilmar Laignier – Portal Uai (www.mg.superesportes.com.br)

Se a construção do Mineirão foi um divisor de águas do futebol mineiro, essa “era” teve um ciclo encerrado no último domingo. Nunca o Gigante da Pampulha ficou inativo por tanto tempo como ficará nos próximos anos, por conta da reforma para a Copa de 2014. Nesses quase 45 anos do “velho Mineirão”, o Cruzeiro colheu números expressivos e conquistou títulos importantes no estádio.

O clube celeste é o time que mais jogou no estádio e o que mais venceu. Foram 1.546 partidas no Mineirão, com 960 vitórias, 348 empates e 238 derrotas. Os números cravam um aproveitamento de 69,6%.

O adversário que o Cruzeiro mais enfrentou no Mineirão foi o Atlético, com 216 jogos entre os clubes, na categoria profissional. Foram 80 vitórias do Cruzeiro, 69 empates e 69 derrotas.

Os números mais expressivos da equipe no Gigante da Pampulha estão na Copa Libertadores da América. O clube celeste ostenta números invejáveis no Mineirão pela maior competição do continente. Foram 57 jogos, com 46 vitórias, seis empates e cinco derrotas (incluindo as de 2008, 2009 e 2010).

Conquistas – O Mineirão viu o Cruzeiro levantar troféus importantes ao longo dos seus 44 anos de história, onde o Clube conquistou 34 títulos. O mais imponente deles foi a Copa Libertadores da América de 1997. Outros títulos de expressão conquistados dentro do estádio foram a Supercopa dos Campeões da Libertadores de 1991, o Campeonato Brasileiro de 2003, as Copas do Brasil de 1993, 2000 e 2003 e a Copa Master da Supercopa de 1995.

O Gigante da Pampulha ainda foi palco do primeiro jogo de grandes decisões em que o Cruzeiro saiu vitorioso, como a Copa Libertadores da América de 1976, a Supercopa dos Campeões da Libertadores de 1992, a Recopa Sul-Americana de 1998, a Taça Brasil de 1966, a Copa do Brasil de 1996 e a Copa Ouro de 1995.

  • Atleta do Cruzeiro que mais vezes jogou no Mineirão pelo Clube:  Zé Carlos – 311 jogos (46 gols)
  • Artilheiro do Cruzeiro que mais marcou gols no Mineirão pelo Clube:  Tostão – 138 gols (164 jogos)
  • Técnico que mais vezes dirigiu o time no Mineirão:  Ílton Chaves: 183 jogos

_____________________________________________

03/06/2010 – Cruzeiro negocia Kleber com o Palmeiras

Cláudio Antonio – Site oficial do Cruzeiro (www.cruzeiro.com.br)

A diretor de futebol do Cruzeiro Esporte Clube, Dimas Fonseca, anunciou, na tarde desta quinta-feira, a negociação do atacante Kleber com o Palmeiras, ex-clube do Gladiador. Pelo acordo, o time paulista pagará ao Cruzeiro 3 milhões de euros por 50% dos direitos econômicos do atleta. A outra metade fica com o clube celeste.

Kleber foi contratado pela Raposa em fevereiro de 2009, junto ao Dynamo Kiev, da Ucrânia, como parte das negociações da transferência do atacante Guilherme. Para contar com Guilherme, o time ucraniano pagou ao Cruzeiro 5 milhões de euros, além dos direitos econômicos do atacante Kléber.

Na equipe celeste, o Gladiador disputou 59 partidas e marcou 38 gols, tendo conquistado o título do Campeonato Mineiro de 2009.

Estreia no Cruzeiro: Cruzeiro 3 x 0 Estudiantes, em 19/02/2009, no Mineirão, pela Copa Santander Libertadores

Título no Cruzeiro: Campeonato Mineiro 2009

(Esse material está liberado para reprodução. Os órgãos de imprensa devem citar o Site Oficial do Cruzeiro como a fonte da informação).

_____________________________________________

03/06/2010 – Emerson Ávila assume interinamente e comanda o time em Goiânia

Cláudio Antonio – Site oficial do Cruzeiro (www.cruzeiro.com.br)

O coordenador técnico do Cruzeiro, Emerson Ávila, comandou o time celeste no treino técnico e no coletivo disputado contra os juniores, na tarde desta quinta-feira, na Toca da Raposa II, e será o técnico da equipe no jogo do próximo domingo, contra o Atlético-GO, em Goiânia, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro. Adilson Batista dirigiu a equipe pela última vez no empate com o Santos, em 0 x 0, no Mineirão, na noite da última quarta-feira.

Ávila assumirá o cargo de treinador interinamente e, além da partida na capital goiana, também deverá ser o técnico do Cruzeiro nos jogos que a equipe disputará ainda neste mês, nos Estados Unidos.

Além dos times infantil e juvenil do Cruzeiro e do time B da Raposa que disputou dois amistosos em Portugal, no ano passado, ele já foi treinador das equipes profissionais do Grêmio Barueri, em 2008, Ipatinga, 2007 e 2009 e Boavista-RJ, no Campeonato Carioca deste ano. Pelo Ipatinga, foi vice-campeão brasileiro da Série B e levou o time do Vale do Aço à primeira divisão.

Domingo, contra o Atlético-GO, será a segunda partida que ele comanda interinamente o Cruzeiro, repetindo o feito de 2007, quando dirigiu a equipe na vitória por 2 x 0 sobre o Atlético-MG no segundo jogo da final do Campeonato Mineiro daquele ano, em substituição a Paulo Autuori.

Emerson Ávila
Nome completo: Emerson Rodrigues Ávila
Data de nascimento: 16/07/1967
Local de nascimento: Belo Horizonte-MG
Clubes como treinador: Grêmio Barueri-SP (2008); Ipatinga (2007 e 2009); Boavista-RJ (2010)

(Esse material está liberado para reprodução. Os órgãos de imprensa devem citar o Site Oficial do Cruzeiro como a fonte da informação).

_____________________________________________

03/06/2010 – Adilson anuncia que deixa o Clube no domingo

João Marcos Dias – Site oficial do Cruzeiro (www.cruzeiro.com.br)

Na entrevista coletiva concedida após o jogo desta quarta-feira, contra o Santos, no Mineirão, Adilson Batista afirmou que se despedirá do Cruzeiro no próximo domingo, quando o time celeste enfrenta o Atlético-GO, no Serra Dourada. O técnico se disse cansado e pediu demissão ao presidente Zezé Perrella por motivos pessoais.

Em meio à analise da partida, o treinador emendou o anúncio, curto e grosso. “Vou fazer meu último jogo lá em Goiânia contra o Atlético-GO”, disse.

Adilson revelou ter comunicado ao presidente a decisão de abandonar o comando do Cruzeiro ainda na concentração da Toca da Raposa II, horas antes de a bola rolar.

(Esse material está liberado para reprodução. Os órgãos de imprensa devem citar o Site Oficial do Cruzeiro como a fonte da informação).

_____________________________________________

02/06/2010 – Brasileirão: Cruzeiro empata na despedida do Mineirão

João Marcos Dias – Site oficial do Cruzeiro (www.cruzeiro.com.br)

A equipe celeste perdeu boa oportunidade de se aproximar dos líderes do Campeonato Brasileiro e empatou com o Santos, por 0 x 0, na noite desta quarta-feira, no Mineirão. Este foi o último jogo do Cruzeiro no estádio antes do fechamento de três anos para a grande reforma que o colocará como uma das sedes da Copa do Mundo de 2014.

Com o resultado, o time celeste vai a nove pontos ganhos e sobe provisoriamente para o sexto lugar, atrás do próprio Santos, que leva a melhor no número de gols pró.

O técnico Adilson Batista mudou completamente a maneira de jogar do Cruzeiro para encarar o campeão Paulista no Mineirão. Roger ficou no banco e os volantes Elicarlos, Fabrício, Henrique e Marquinhos Paraná formaram o meio-campo. O atacante Eliandro foi o substituto de Kleber e Thiago Heleno entrou no lugar do suspenso Leonardo Silva.

O Santos foi a campo com o tradicional esquema 4-4-2 utilizado pelo técnico Dorival Júnior, com o trio Paulo Henrique Ganso, Neymar e André na linha de frente.

O Cruzeiro fará no domingo, contra o Atlético-GO, às 18h 30, em Goiânia, o último jogo antes da paralisação do Brasileiro para a disputa da Copa do Mundo da África do Sul.

Cruzeiro: Fábio; Jonathan, Gil, Thiago Heleno e Diego Renan (Sebá); Fabrício, Marquinhos Paraná, Henrique e Elicarlos (Pedro Ken); Thiago Ribeiro e Eliandro (Roger) – Técnico: Adilson Batista

Globoesporte.globo.com – A zaga do Cruzeiro esteve impecável o empate por 0 a 0 com o Santos, nesta quarta-feira, no Mineirão. A dupla formada por Thiago Heleno e Gil não perdeu quase nenhuma jogada diante do badalado ataque adversário . Por sinal, foi a primeira vez – depois de 44 jogos – que o Peixe deixou de marcar um gol.

(Esse material está liberado para reprodução. Os órgãos de imprensa devem citar o Site Oficial do Cruzeiro como a fonte da informação).

__________________________

02/06/2010 – Kleber está indo para o Palmeiras

Fonte: globoesporte.globo.com

Nesta quarta-feira, o presidente do Cruzeiro, Zezé Perrella, admitiu que o atacante Kleber será liberado para acertar com o Palmeiras. O jogador, que não poderá atuar diante do Santos, já que sentiu um estiramento muscular na coxa esquerda, deverá ser apresentado no Verdão nos próximos dias, possivelmente na sexta-feira, junto com o novo patrocinador do clube.

O atacante, de 25 anos, marcou 38 gols em 59 jogos com a camisa do Cruzeiro. Apenas nesta temporada, fez 14 gols e é um dos artilheiros da equipe, ao lado de Thiago Ribeiro. Entretanto, ao mesmo tempo em que fez muitos gols, o jogador foi expulso inúmeras vezes, prejudicando a equipe em momentos importantes. Kleber recebeu o cartão vermelho em seis oportunidades. A última vez em foi na segunda partida da Taça Libertadores, no Morumbi, diante do São Paulo.

Para o lugar de Kleber, o presidente Zezé Perrella já disse que Robert, ex-Palmeiras, deverá ser o primeiro reforço. O argentino Ernesto Farías, do Porto de Portugal, também interessa.

_____________________________________________

25/05/2010 – Cruzeiro jogará nos EUA durante a Copa do Mundo

João Marcos Dias – Site oficial do Cruzeiro (www.cruzeiro.com.br)

O diretor de futebol internacional do Cruzeiro, Valdir Barbosa, confirmou nesta terça-feira que o Cruzeiro disputará três amistosos nos Estados Unidos no período em que o Campeonato Brasileiro estiver paralisado para a disputa da Copa do Mundo da África do Sul. A equipe celeste viajará pelo país norte-americano de 7 a 19 de junho.

A delegação celeste irá primeiro para a cidade de Fort Lauderdale, na Flórida, onde o Cruzeiro enfrentará a seleção do Haiti.

Na semana seguinte, a equipe celeste segue até Boston, para enfrentar no dia 13 o New England Revolution, time local que disputa a Major League Soccer. A excursão se encerra em Nova Jersey, local da partida contra o Red Bull New York, dia 18.

A grande colônia mineira no estado de Massachusetts já garantiu uma boa presença de público na partida contra o New England Revolution. “Já são mais de 15 mil ingressos vendidos em Boston”, informou o diretor.

O Cruzeiro retomará com essa viagem uma tradição antiga de um Clube que já se apresentou nos cinco continentes.

“Antigamente nós tínhamos excursões para a Europa no meio do ano e, com a inversão do nosso calendário em relação ao europeu, essa prática se tornou impossível. Com a Copa do Mundo nos dando agora essa abertura, acertamos esses três amistosos, destacou Valdir.

Terminado o treino da tarde desta terça-feira, 19 atletas escolhidos pelo técnico Adilson Batista iniciam concentração para o jogo desta quarta-feira, às 21h 50, contra o Botafogo, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro. As novidades são o zagueiro Leonardo Silva e o meia Roger, que cumpriram suspensão diante do Guarani.

(Esse material está liberado para reprodução. Os órgãos de imprensa devem citar o Site Oficial do Cruzeiro como a fonte da informação).

_____________________________________________

11/05/2010 – Copa do Mundo: Gilberto, do Cruzeiro, é convocado

João Marcos Dias – Site oficial do Cruzeiro (www.cruzeiro.com.br)

O armador Gilberto foi anunciado no início da tarde desta terça-feira como um dos 23 atletas que defenderá o Brasil na Copa do Mundo da África do Sul, entre os meses de junho e julho. O camisa 10 do Cruzeiro foi um dos escolhidos do técnico Dunga para a lateral esquerda, função que exerceu em boa parte da carreira.

Com o chamado de Gilberto, o Cruzeiro volta a ter um jogador na principal competição do futebol mundial. O último foi o atacante Edílson, campeão em 2002.

E contar com um cruzeirense é bom sinal para a torcida brasileira, já que os últimos três títulos da Seleção foram conquistados com atletas celestes. Em 1994, Ronaldo fez parte do grupo comandado por Carlos Alberto Parreira nos Estados Unidos. Já Piazza e Tostão foram titulares e Fontana reserva da equipe que fez história na Copa de 1970, no México.

Veterano da Copa de 2006, quando marcou um gol nos 4 x 1 sobre o Japão, Gilberto será um dos três atletas que atuam no futebol brasileiro a ir para a África do Sul. Além dele, apenas o volante Kleberson, do Flamengo, e o atacante Robinho, do Santos, foram chamados.

O torcedor cruzeirense é bem familiarizado com o grupo da Seleção. Outros seis atletas já vestiram a camisa celeste e hoje brilham em gramados europeus. São eles os goleiros Gomes e Doni, o lateral-direito Maicon, o zagueiro Luisão e os volantes Felipe Melo e Ramires.

Confira a relação de Dunga

Goleiros: Júlio César (Internazionale-ITA), Doni (Roma-ITA) e Gomes (Tottenham-ING)
Laterais: Maicon (Internazionale-ITA), Daniel Alves (Barcelona-ESP), Michel Bastos (Lyon-FRA) e Gilberto (Cruzeiro)
Zagueiros: Lúcio (Internazionale-ITA), Juan (Roma-ITA), Luisão (Benfica-POR) e Thiago Silva (Milan-ITA)
Volantes: Felipe Melo (Juventus-ITA), Gilberto Silva (Panathinaikos-GRE), Josué (Wolfsburg-ALE) e Kleberson (Flamengo)
Meias: Kaká (Real Madri-ESP), Ramires (Benfica-POR), Elano (Galatasaray-TUR) e Júlio Baptista (Roma-ITA)
Atacantes: Luís Fabiano (Sevilla-ESP), Robinho (Santos), Nilmar (Villarreal-ESP) e Grafite (Wolfsburg-ALE)

(Esse material está liberado para reprodução. Os órgãos de imprensa devem citar o Site Oficial do Cruzeiro como a fonte da informação).

_____________________________________________

31/03/2010 – Libertadores: Cruzeiro dá show, goleia Vélez e assume liderança

João Marcos Dias – Site Oficial do Cruzeiro

  • Diante de mais de 40 mil torcedores, o Cruzeiro jogou o que sabe e bateu o Vélez Sarsfield, por 3 x 0, na noite desta quarta-feira, no Mineirão, resultado que vale o primeiro lugar do grupo 7 da Copa Santander Libertadores. A equipe celeste deu um grande passo para avançar às oitavas-de-final e seguir em campanha rumo ao tricampeonato.
  • A Raposa chega a 10 pontos ganhos, com seis gols de saldo, e assume a dianteira no lugar do Vélez, que soma dez pontos e um tento de saldo. Ambos os times estão fora do alcance do Colo-Colo, que tem quatro pontos e completa a rodada contra o Deportivo Itália, na próxima terça-feira, em Caracas.
  • Com a margem estabelecida nesta quarta-feira, o Cruzeiro tem boa chance de confirmar a classificação como líder com uma vitória na partida contra o Colo-Colo, no dia 15 de abril em Santiago. Ao mesmo tempo, Vélez e Deportivo Itália se enfrentarão em Buenos Aires.

Bruno Furtado – Portal Uai

  • Se o Cruzeiro devia uma atuação irretocável em 2010, não deve mais. Nesta quarta-feira, no Mineirão, o time de Adílson Batista reviveu seus grandes momentos do ano passado e goleou o Vélez Sársfield por 3 a 0 com atuações destacadas dos atacantes Thiago Ribeiro e Kléber. Os argentinos tiveram até que engolir gritos de “olé” dos mais de 43 mil torcedores presentes na Pampulha.
  • Thiago Ribeiro foi o homem do jogo. Além de marcar o primeiro gol, ele deu duas assistências para Kléber completar o placar. O Gladiador tirou proveito para assumir a liderança isolada da Copa Libertadores, com sete gols em seis jogos.
  • A vitória elevou o Cruzeiro à liderança do Grupo 7, com dez pontos e saldo de gols superior ao do Vélez Sársfield (6 a 1). A pontuação praticamente assegura a classificação dos mineiros às oitavas-de-final, ainda que seja com a segunda posição. A manutenção da primeira colocação dependerá dos jogos da última rodada, em 15 de abril. O Cruzeiro visitará o Colo Colo e o Vélez receberá o Deportivo Itália.
  • Ao golear o Vélez Sársfield por 3 a 0 nesta quarta-feira, no Mineirão, em sua melhor apresentação de 2010, o Cruzeiro quebrou um tabu na Copa Libertadores. Essa foi a primeira vitória sobre o clube argentino no torneio. Em três duelos anteriores, o rival havia conseguido duas vitórias e um empate.
  • Os dois primeiros duelos foram válidos pela Libertadores de 1994, quando Cruzeiro e Vélez compuseram o mesmo grupo. No primeiro jogo, no Mineirão, houve empate por 1 a 1. Ronaldo “Fenômeno” marcou para os mineiros e “El turco”Asad para os argentinos. Na volta, em Buenos Aires, os Vélez fez 2 a 0 com gols de Trotta, de pênalti, e novamente de Asad. O terceiro jogo foi o polêmico 2 a 0 favorável ao Vélez, em 10 de fevereiro passado, em Buenos Aires, na abertura do Grupo 7. O Cruzeiro perdeu o armador Gilberto aos dois minutos, numa expulsão contestada pelo clube e que gerou um protesto formal à Conmebol. O zagueiro Gil também recebeu o cartão vermelho no primeiro tempo e o time teve que se fechar.

CRUZEIRO 3 X 0 VÉLEZ SARSFIELD

Motivo: 5ª rodada da fase de grupos da Copa Santander Libertadores

Data: 31/03/2010 (quarta-feira)

Local: Mineirão, em Belo Horizonte-MG

Árbitro: Wilmar Roldán (COL)

Público: 43.374 pagantes

Renda: R$ 839.118,90

Gols: Thiago Ribeiro, aos 32 min do primeiro tempo; Kleber, aos 3 min e 8 min do segundo tempo

Cruzeiro

Fábio; Jonathan, Thiago Heleno, Leonardo Silva (Gil) e Diego Renan; Fabinho, Henrique, Marquinhos Paraná e Gilberto (Fabrício); Thiago Ribeiro (Wellington Paulista) e Kleber

Técnico: Adilson Batista

Vélez Sarsfield

Montoya; Díaz (Lima), Domínguez, Otamendi e Papa; Cubero, Somoza, Zapata e Moralez (Cabrera); López (Martínez) e Santiago Silva

Técnico: Ricardo Gareca

Cartões amarelos: Gilberto e Kleber (Cruzeiro); Santiago Silva e Lima (Vélez Sarsfield)

Cartão vermelho: Somoza (Vélez Sarsfield)

__________________________

17/03/2010 – Amistoso: Cruzeiro empata com a seleção da África do Sul

Bruno Furtado – Site superesportes.com.br

O amistoso internacional entre Cruzeiro e África do Sul teve ares de Copa do Mundo, com banda de música, execução de hinos nacionais, colorido na arquibancada e troféu. Mas faltou o que o torcedor mais esperava ver nesta quarta-feira, no Mineirão: o gol. O empate por 0 a 0 acabou agradando ao time de Adílson Batista e à seleção visitante, dirigida por Carlos Alberto Parreira.

Com o resultado, os visitantes receberam um troféu simbólico.

Técnico da África do Sul, Carlos Alberto Parreira gostou da atuação de sua seleção no amistoso. “Esse trabalho, que começou há nove dias, vai se estender até a Copa do Mundo. Até lá, nós teremos quase três meses de preparação. E, no início de maio, irão se juntar os jogadores que estão no exterior, com esse grupo já preparado e treinado. O time vai ganhar em qualidade, experiência e a gente vai brigar por uma vaga”.

O Cruzeiro chegou ao seu 11º empate contra uma seleção nacional ao ficar no placar de 0 a 0 com a África do Sul em amistoso inédito realizado nessa quarta-feira, no Mineirão, em Belo Horizonte.

Em 33 confrontos, o clube conquistou 17 vitórias e foi batido cinco vezes.

O Mineirão só havia recebido dois duelos contra seleções. No primeiro, em 1969, o Cruzeiro foi derrotado pela União Soviética por 1 a 0. Já em 1970, os celestes venceram a Romênia, por 2 a 1.

Entre as seleções africanas, o Cruzeiro só havia enfrentado a Nigéria, em Lagos, em 1980, quando venceu o primeiro amistoso por 1 a 0 e empatou o segundo, por 1 a 1.

O clube não media forças contra uma seleção nacional desde 1983. Naquele ano, o Cruzeiro foi a San Pedro Sula, em Honduras, e goleou a seleção nacional por 4 a 1. (UAI)

Cruzeiro: Fábio; Jonathan, Cláudio Caçapa, Leonardo Silva e Diego Renan (Magalhães); Henrique, Pedro Ken (Fabinho), Marquinhos Paraná (Marcos) e Roger (Bernardo); Kléber (Eliandro) e W. Paulista – Adílson Batista

África do Sul: Khune; Khumalo, Siyabonga Sangweni, Mdledle e Gaxa; Lance Davids (Jali), Khuboni, Modise (Letsholonyane) e Mbuyane (Schalkwyk); Siphiwe Tshabalala (Cale) e Katlego Mphela – Carlos Alberto Parreira

__________________________

20/02/2010 – Campeonato Mineiro: Cruzeiro bate Atlético e amplia vantagem na “Era Adilson Batista”

Henrique Frederico

Em um clássico eletrizante, o Cruzeiro venceu o Atlético-MG por 3 x 1, na tarde deste sábado, no Mineirão, pela sexta rodada do Campeonato Mineiro. O time celeste teve que lutar muito e os gols foram marcados pelos zagueiros Gil e Leonardo Silva e pelo meia Roger, que fazia sua estreia com a camisa estrelada. Para o arquirrival, marcou Jairo Campos.

Na “Era Adilson Batista” que começou em janeiro de 2008, foram disputados 12 clássicos com nove vitórias estreladas, dois empates e apenas uma derrota. O único revés neste período aconteceu quando o comandante celeste escalou um time com jogadores reservas, às vésperas da final da Copa Santander Libertadores 2009.

Com o resultado, o Cruzeiro assumiu a vice-liderança com 12 pontos e está a apenas um do Democrata-GV, líder com 13. Já o Atlético-MG permaneceu na sexta posição com seis pontos em cinco partidas.

Disputando duas competições simultaneamente, o técnico Adilson Batista tem optado por mesclar o time na disputada do Campeonato Mineiro. Porém, para enfrentar o rival, o comandante celeste mandou a campo a força máxima do Cruzeiro. A equipe foi formada no tradicional 4-4-2.

Já o técnico do Atléitco-MG Vanderlei Luxemburgo alterou o esquema do seu time. Ele sacou o atacante Obina para colocar o armador Renan Oliveira, alterando o time do 4-3-3 para o 4-4-2.

As duas equipes entraram  ao mesmo tempo pelo túnel central do Mineirão e com a camisa que pedia  paz no futebol mineiro.

Agora, o Cruzeiro volta suas atenções para a disputa da Copa Santander Libertadores. na próxima quarta-feira, às 19h 30, o time estrelado enfrenta o Colo-Colo do Chile, no Mineirão, pela segunda rodada da competição mais importante do continente.

ATLÉTICO-MG 1  X 3 CRUZEIRO

Motivo: sexta rodada do Campeonato Mineiro

Data: 20/02/2010 (sábado)

Árbitro: Renato Cardoso Conceição (MG)

Local: estádio Mineirão, em Belo Horizonte-MG

Público: 41.591 pagantes

Renda: R$ 988.227, 50

Gols: Gil aos 22 min e Jairo Campos aos 30 min do primeiro tempo; Leonardo Silva aos 37 min e Roger aos 43 min do segundo tempo.

Atlético-MG

Carini; Coelho, Werley, Jairo Campos e Leandro; Jonilson (Marques),Correa, Renan Oliveira (Obina) e Ricardinho (Júnior); Muriqui e Diego Tardelli.

Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Cruzeiro

Fábio; Jonathan, Gil, Leonardo Silva e Diego Renan (Pedro Ken); Elicarlos, Henrique, Marquinhos Paraná e Gilberto (Roger); Kleber e Thiago Ribeiro (Bernardo).

Técnico: Adilson Batista

Cartões amarelos: Kleber (Cruzeiro); Leandro, Jonilson, Coelho e Jairo Campos(Atlético-MG)

__________________________________________

03/05/2009 – Cruzeiro empata e conquista bi mineiro invicto

Bruno Furtado – Portal Uai

O Cruzeiro atingiu o seu objetivo de não perder na decisão do Campeonato Mineiro, ficou no empate por 1 a 1 com o Atlético neste domingo, no Mineirão, e conquistou o título de forma invicta pela 10ª vez num total de 35 conquistas. A equipe celeste entrou em campo com larga vantagem uma vez que tinha goleado o rival no primeiro duelo por 5 a 0.

Os gols do empate saíram no primeiro tempo. Fabinho marcou pelo Atlético e Kléber, de pênalti, deixou tudo igual no placar.

Diferentemente da etapa inicial, quando houve equilíbrio e mais chances de gol do Atlético, o Cruzeiro foi o dono do segundo tempo e jogou fora a chance de sair de campo vitorioso.

A campanha azul foi fechada com 12 vitórias e cinco empates.

______________________________________

29/04/2009 – Fábio será em breve o 5º goleiro que mais vestiu a camisa 1 celeste

Álvaro Castro (Site oficial do Cruzeiro)

O goleiro Fábio está próximo de atingir uma expressiva marca com a camisa do Cruzeiro. Faltam apenas três jogos para o camisa 1 igualar os 264 de Paulo César Borges, o quinto arqueiro que mais defendeu a Raposa. O atual titular tem 261 partidas, que o colocam como jogador que mais representou o time celeste no atual elenco.

A primeira passagem de Fábio pelo Cruzeiro foi entre 1999 e 2000, quando o Cruzeiro conquistou o título da Copa do Brasil 2000. Desde o retorno ao Clube, em 2005, o camisa 1 ajudou nas conquistas o Campeonato Mineiro em 2006 e 2008.

Paulo César Borges tem no currículo o bi da Supercopa, em 1991 e 1992, a Copa do Brasil 1993, o Campeonato Mineiro em 1990, 1992 e 1998 e Copa dos Campeões Mineiros 1991.

“Fico satisfeito e feliz pela marca e sabendo que cada jogo foi de muita responsabilidade, sacrifício, entrega e responsabilidade por vestir a camisa do Cruzeiro. Grandes goleiros vestiram e fizeram história e eu estou tentando fazer meu melhor, me doar cada vez mais para a torcida e para o Clube”, afirmou.

Para o capitão celeste, a manutenção do elenco de 2008 é um dos fatores que favorecem o bom desempenho da equipe no ano. Sob o comando de Adilson Batista, o Cruzeiro chega à sua terceira final, pode conquistar o terceiro título e chegou pela segunda vez às oitavas-de-final da Copa Santander Libertadores.

“Foi super importante essa manutenção, o grupo se conheceu melhor no decorrer deste um ano e meio e acho que isso é favorável para as conquistas, o entrosamento. Você tem que ter uma base forte, manter jogadores. A tendência é dificultar mais ainda e precisamos desse conjunto para almejar o título também do Brasileiro”, disse.

O goleiro esteve em campo na tarde desta quarta-feira e treinou sob a orientação do preparador Oscar Rodriguez. Os jogadores de linha fizeram musculação e depois Thiago Heleno, Gustavo, Wanderley, Soares, Wellington Paulista, Zé Carlos, Bernardo, Camilo, Elicarlos, Henrique e Jancarlos correram no campo.

Confira os 10 goleiros que mais defenderam o Cruzeiro

1 – Raul – 557 jogos

2 – Geraldo II – 368 gols

3 – Dida – 306 jogos

4 – Geraldo I – 276 jogos

5 – Paulo César – 264 jogos

6 – Fábio – 261 jogos

7 – Luiz Antônio – 241 jogos

8 – Hélio – 207 jogos

9 – Vítor – 183 jogos

10 – Gomes (1982/88) – 180 jogos

__________________________

27/04/2009 – Adilson Batista iguala Airton Moreira e conduz Cruzeiro à sétima vitória seguida no clássico

João Marcos Dias (Site oficial do Cruzeiro)

Há um ano e quatro meses à frente do time celeste, Adilson Batista tem se mostrado um especialista em clássicos. Com os 5 x 0 deste domingo, o técnico colocou o nome entre os maiores do confronto. O comandante celeste igualou a marca de sete triunfos consecutivos sobre o Atlético-MG, obtida pelo time de Airton Moreira entre 1964 e 1966.

Adilson tem nada menos que 91,66% de aproveitamento contra o rival. A estreia foi no empate por 0 x 0, em 9 de março de 2008, pela primeira fase do Mineiro. De lá para cá, são sete vitórias seguidas, por Estadual, Brasileiro e Torneio de Verão do Uruguai.

Nas mãos de Adilson, o Cruzeiro está há um ano sem ceder ponto ao rival. Desde os 5 x 0 em 27 de abril de 2008, no primeiro jogo da final do Mineiro, o time celeste marcou 21 gols e sofreu apenas quatro nos confrontos com o Atlético-MG.

Como se não bastasse, sob o comando de Adilson Batista o Cruzeiro conseguiu suas duas goleadas mais expressivas nos 88 anos do confronto. Os 5 x 0 de 2008 e deste domingo são as maiores vantagens que o time celeste já impôs ao Atlético-MG.

Em entrevista coletiva no Mineirão, Adilson fez questão de citar a torcida. “Primeiro gostaria de agradecer o torcedor pelo incentivo desde a chegada, a energia positiva, o carinho. Já no começo do jogo vimos o torcedor confiante, isso foi importante”, disse.

O treinador viu dois tempos distintos no jogo de ida da final do Campeonato Mineiro. Adilson avalia que houve equilíbrio nos primeiros 45 minutos e domínio cruzeirense no domingo.

“No primeiro tempo, em função do sistema do Atlético-MG, nós tivemos um pouco de dificuldade. Eles criaram três, quatro situações em saídas rápidas de contra-ataque. A gente não teve o volume que imaginava. Já o segundo tempo foi diferente. O Cruzeiro esteve superior. Valeu pela atuação do segundo tempo”, analisou.

Embora o Cruzeiro tenha repetido a goleada do ano passado, Adilson Batista considera os 5 x 0 um feito atípico. Adilson lamentou apenas que o time tenha desperdiçado chance de ampliar nos minutos finais.

“Não é questão de surpresa. É um resultado atípico, em se tratando de clássico. Ano passado aconteceu isso mesmo. Hoje (domingo) estivemos para fazer o sexto, o sétimo, (mas houve) um pouco de vaidade. A gente respeita. Temos um grupo comprometido, com seus objetivos na temporada. Temos que enaltecer a qualidade dos jogadores”, afirmou.

Compare as maiores sequências de vitórias no clássico

Adilson Batista

27/04/2008 – Cruzeiro 5 x 0 Atlético-MG (Campeonato Mineiro)

04/05/2008 – Cruzeiro 1 x 0Atlético-MG (Campeonato Mineiro)

13/07/2008 – Cruzeiro 2 x 1 Atlético-MG (Campeonato Brasileiro)

19/10/2008 – Cruzeiro 2 x 0 Atlético-MG (Campeonato Brasileiro)

17/01/2009 – Cruzeiro 4 x 2 Atlético-MG (Torneio de Verão do Uruguai)

15/02/2009 – Cruzeiro 2 x 1 Atlético-MG (Campeonato Mineiro)

26/04/2009 – Cruzeiro 5 x 0 Atlético-MG (Campeonato Mineiro)

Airton Moreira

15/11/1964 – Cruzeiro 1 x 0 Atlético-MG (Campeonato Mineiro)

22/04/1965 – Cruzeiro 1 x 0 Atlético-MG (Torneio Natalino Triginelli)

09/05/1965 – Cruzeiro 3 x 2 Atlético-MG (Torneio Mário Coutinho)

20/06/1965 – Cruzeiro 3 x 1 Atlético-MG (Torneio do Bispo)

24/10/1965 – Cruzeiro 1 x 0 Atlético-MG (Campeonato Mineiro)

16/12/1965 – Cruzeiro 2 x 0 Atlético-MG (Campeonato Mineiro)

09/02/1966 – Cruzeiro 2 x 1 Atlético-MG (Campeonato Mineiro)

__________________________

25/04/2009 – No dia do jogo 1.500 no Mineirão, Cruzeiro inicia luta para mais um título mineiro

João Marcos Dias (Site oficial do Cruzeiro)

Em data especial para o Clube, o Cruzeiro dará início neste domingo à disputa pelo 36º título do Campeonato Mineiro. O time celeste enfrentará o rival Atlético-MG no jogo de ida da final, a partir das 16h, na partida de 1.500 do Clube no Mineirão, estádio inaugurado em 1965 que abrigou feitos gloriosos do time celeste nos últimos 44 anos.

Em 1.499 partidas disputadas no Gigante da Pampulha, o Cruzeiro tem retrospecto de 933 vitórias, 339 empates e 227 derrotas. São 3.021 gols a favor e 1.201 contra. Em quase metade dos jogos, 702, o time celeste não sofreu gol. E deixou de marcar em apenas 272. No Mineirão, o Clube levantou 34 troféus, tais como os da Copa Libertadores 1997 e do Campeonato Brasileiro 2003.

O Cruzeiro entrará em campo embalado pela boa campanha na temporada, que registra 17 vitórias, cinco empates e uma derrota, aproveitamento de 81,15%. Mas o rival terá a vantagem de jogar por dois empates ou vitória e derrota pela mesma diferença de gols, já que se classificou para a fase final com a melhor campanha no estágio preliminar.

Os atletas reconhecem que o adversário está com o regulamento a favor, mas não acreditam que a vantagem do empate vá ser tão decisiva no confronto final.

“Em clássico é muito difícil você falar em vantagem, porque tanto eles como a gente vamos querer ir para cima e ganhar o jogo. Ela só serve para o caso de os dois times estarem com má sorte e a bola não entrar. Em clássico é difícil sair um empate. Nós estamos precisando da vitória e queremos ir para cima”, disse o atacante Wellington Paulista.

O camisa 9 lembra que a final é disputada em 180 minutos e que só algo muito extraordinário deixará a conquista encaminhada para qualquer dos lados neste domingo. Wellington prevê uma decisão bastante equilibrada entre os eternos rivais de Minas.

“As duas equipes vão entrar forte. Só vai decidir na primeira partida se houver uma goleada muito grande. Eu não acredito nisso. Vai ser muito disputado, as duas equipes estão bem no campeonato. Não vai sair uma vitória muito expressiva no primeiro jogo”, ponderou.

Wellington está ansioso para disputar o primeiro título com a camisa celeste. “A expectativa é boa. A gente quer vencer, eles também. Vai ser um jogo muito difícil de ganhar. Temos que ter atenção e tranquilidade para aproveitar as oportunidades. A gente quer ser campeão, a torcida está esperando muito isso da gente. Vamos nos doar”, disse.

Os jogadores celestes colocarão à prova uma marca expressiva na história do clássico. O time celeste está há quase dois anos sem perder para o Atlético-MG. São nada menos que nove vitórias e um empate nos últimos dez confrontos. O último revés foi em 29 de abril de 2007, por 4 x 0 no jogo de ida da final do Campeonato Mineiro.

Se passar ileso no domingo, o Cruzeiro alcançará a maior hegemonia celeste na história do confronto. O time celeste ficou invicto por dez partidas em duas ocasiões. Entre 1966 e 1968, foram cinco vitórias e cinco empates, 66,7% de aproveitamento. Já de 2000 a 2002, houve três vitórias e sete empates, 53,3% de rendimento.

Ainda no campo dos números, o técnico Adilson Batista está próximo de igualar a maior série de vitórias sobre o Atlético-MG. Ele tem seis e pode igualar os sete de Airton Moreira entre 1964 e 1966. (Leia reportagem a respeito da marca).

__________________________

25/04/2009 – Ex-volante Zé Carlos é quem mais defendeu o Cruzeiro nos 1.500 jogos celestes no Mineirão

João Marcos Dias (Site oficial do Cruzeiro)

Dentre tantos jogadores que vestiram a camisa celeste nos últimos 44 anos, um pode dizer que participou de mais de um quinto dos 1.500 jogos que o Clube completará no Mineirão, neste domingo, no clássico contra o Atlético-MG. O ex-volante Zé Carlos, craque das décadas de 1960 e 1970, é o recordista de jogos pelo Cruzeiro no estádio.

Foram 311 partidas e 46 gols marcados no estádio entre 1965, ano em que chegou do Sport de Juiz de Fora, e 1977, quando se despediu com o título do Campeonato Mineiro de 1977.

Procurado pelo Site Oficial para comentar a façanha, Zé Carlos sabia que detinha o maior número de partidas com a camisa celeste, 632, mas confessou não ter atentado para o fato de que é o recordista também no Mineirão.

“Representa muito para mim essa marca, porque fica na história do Clube. Foram 12 anos como jogador do Cruzeiro, fico muito feliz por ter dado um pouco do meu talento para o Clube e agora um pouco mais, já que estou trabalhando aqui”, afirmou Zé Carlos, que desde junho de 2008 é funcionário do Departamento de Intercâmbio da Toca da Raposa I.

O ex-volante não esteve na primeira partida do Cruzeiro no Mineirão, mas participou ativamente dos 12 primeiros anos de história do maior palco do futebol mineiro. Zé Carlos sabe bem o que aquele campo representa na história do Clube a partir de 1965.

“Cheguei em novembro de 1965, um pouco depois da inauguração do estádio. Acompanhei aquela trajetória no início. Joguei primeiro pelos aspirantes, fui campeão, demorei uns dois anos para me firmar como titular e depois foram dez anos jogando sempre. Vi toda a história de lá para cá, o Cruzeiro deu um salto muito grande depois do Mineirão. O clássico era Atlético-MG x América-MG, nós éramos vistos como terceira força. Aí vieram as conquistas e a torcida aumentou muito. Fiz parte disso”, observou.

Em semana de jogo decisivo ante o maior rival, Zé Carlos sabe bem o que se passa na cabeça de um jogador. Ele pode ser considerado um especialista em clássicos contra o Atlético-MG. Foram nada menos que 50 confrontos e um gol marcado contra o adversário. O retrospecto é de 18 vitórias, 16 empates e 16 derrotas.

A estreia e a despedida de Zé Carlos no Cruzeiro foram em triunfos sobre o arquirrival. Em 16 de dezembro de 1965, ele entrou como suplente na vitória por 2 x 0, em partida amistosa. O último jogo foi a vitória por 3 x 2, em 2 de outubro de 1977, pela final do Campeonato Mineiro, o jogo dos três gols do atacante uruguaio Revétria.

Uma das 50 partidas contra o Atlético-MG é a que mais marcou o ex-volante. Não foi vitória, nem resultou em título, mas foi histórica mesmo assim. Em 26 de novembro de 1967, os rivais se enfrentaram pela fase preliminar do Campeonato Mineiro. O time celeste tinha a hegemonia e lutava pelo tricampeonato. Quem conta a história é Zé Carlos.

“Lembro muito de um jogo que ficou marcado, em 1967, em que o Cruzeiro estava perdendo para o Atlético-MG por 3 x 0 e empatou. Eu não era titular, o Tostão se machucou no começo e eu entrei. O Procópio foi expulso um pouco depois e eles abriram 3 x 0. Nós fomos lá e empatamos. Ninguém esperava, ainda mais com dez homens”, disse.

Está registrado. Tostão se machucou logo aos 5 min e Piazza foi expulso aos 25 min. O Atlético-MG abriu vantagem com Lacy, aos 21 min, e Ronaldo, aos 39 min do primeiro tempo. Lacy ampliou aos 15 min da segunda etapa. Tudo parecia perdido, mas o Cruzeiro buscou o empate com Natal, aos 16 min e aos 18 min, e Piazza, de pênalti, aos 30 min. E, com um pouco mais de sorte, Zé Carlos poderia ter dois gols, e não um, em clássicos.

“Eu ainda bati uma falta na trave no final. Se tivesse feito aquele gol, muito torcedor tinha morrido do coração. Já ficou marcado do jeito que foi, se a gente virasse para 4 x 3, ficaria muito mais”, recordou o craque. O resultado impediu que o Atlético-MG fosse campeão por antecipação e o Cruzeiro seguiu firme rumo ao pentacampeonato celeste, em 1969.

Confira a ficha de Zé Carlos

Nome: José Carlos Bernardo

Posição: meio-campo

Data de nascimento: 28/04/1945

Local de nascimento: Juiz de Fora, MG

Carreira: Sport-JF (1962-1965); Cruzeiro (1965-1977); Guarani-SP (1978-1979); Botafogo (1980); Bahia (1980); Maringá (1981); Blumenau (1982); Villa Nova (1982); Uberaba (1983); Villa Nova (1983); Mogi Mirim (1985)

Estréia no Cruzeiro: 16/12/1965 – 2 x 0 Atlético-MG, amistoso, no Mineirão

No Cruzeiro: 632 jogos; 87 gols (é o jogador que mais atuou com a camisa do Cruzeiro)

Títulos pelo Cruzeiro: Copa Libertadores (1976); Taça Brasil (1966); Campeonato Mineiro (1966, 1967, 1968, 1969, 1972, 1973, 1974, 1975, 1977); Taça Minas Gerais (1973); Torneio Início (1966)

Títulos por outros clubes: Campeonato Brasileiro (1978), pelo Guarani

Carreira como técnico: Guarani (1984); Mogi-Mirim (1985); Avaí; Criciúma (1986/87); Cruzeiro (1988); Botafogo; Pinheiros; Atlético de Maringá; Flamengo-VG (1989); Blumenau; El Riad (Arábia Saudita); Valério; Tupi (1991)

Títulos como técnico: Campeonato Catarinense (1986), pelo Criciúma; Campeonato Árabe (1991), pelo El Riad

__________________________

22/04/2009 – Noite histórica para Ramires: 100 partidas pelo Cruzeiro

Álvaro Castro (Site oficial do Cruzeiro)

No dia em que o Cruzeiro completou 100 jogos pela Copa Santander Libertadores, Ramires disputou sua 100ª partida com a camisa estrelada. O time celeste venceu o Deportivo Quito, por 2 x 0, na noite desta quarta-feira, no Mineirão, e garantiu a vaga nas oitavas-de-final da competição continental como primeiro colocado do grupo 5.

Na 11ª participação em 50 edições, o campeão da Tríplice Coroa chegou ao 100º confronto pela Copa Santander Libertadores e à 60ª vitória no torneio. Somam-se no retrospecto 16 empates e 24 derrotas, com 190 gols a favor e 106 contra, saldo de 84.

O técnico Adilson Batista já tem o nome marcado nessa história. É o único a comandar o Cruzeiro em duas edições da Libertadores e o recordista de jogos. São 16, com campanha de nove vitórias, três empates e quatro derrotas, 28 gols a favor e 19 contra..

“Parabéns ao Cruzeiro, é uma marca importante. Sempre teve grandes times, grandes treinadores, jogadores, conquistou títulos, chegou, e é respeitado. Conseguimos o placar já no primeiro tempo, tivemos paciência, rodamos bem a bola. Quero parabenizar o torcedor que jogou junto hoje, tenho que agradecer a todos”, comentou o treinador.

Ramires, que foi contratado do Joinville-SC em 2007, marcou 26 gols com a camisa estrelada, dez deles em 2009. O camisa 8 é o vice-artilheiro do time na temporada, atrás do atacante Kléber, que tem 13. O volante é também o segundo maior goleador do atual elenco, perdendo para Wagner, que anotou 34 tentos.

O volante foi curto e grosso ao comentar o resultado. “Sabíamos que a marcação ia ser dura. Entramos ligados, fizemos os gols e o importante é o objetivo cumprido”, disse.

O camisa 8 celeste deixou o campo satisfeito pelo volume de jogo do time. Só bolas na trave foram cinco. “Criamos muitas chances de gol. Acho que a gente não conseguiu chegar nas finalizações. O time tem criado, isso e importante. Poderia ter feito mais, mas o time está de parabéns pelo que mostrou dentro de campo”, afirmou.

__________________________

22/04/2009 – Recorde o dia em que o Cruzeiro aplicou a maior goleada celeste no Mineirão

João Marcos Dias (Site oficial do Cruzeiro)

A gloriosa história do Cruzeiro no Mineirão inclui feitos que vão além dos 34 títulos conquistados no principal palco do futebol mineiro. O time celeste registrou no estádio um placar uma goleada que ultrapassou a dezena de gols. Em 9 de outubro de 1980, a Raposa aplicou impiedosos 11 x 0 no Flamengo de Varginha, em jogo da primeira fase do Estadual.

A equipe comandada pelo técnico Ilton Chaves precisava vencer para garantir um ponto extra na fase final do Mineiro, mas o placar surpreendeu até mesmo aos atletas. Aquele foi um jogo marcante para dois atletas em especial. O armador Mauro marcou quatro gols e o atacante Roberto César, cinco. Alexandre e Carlinhos completaram o marcador.

Para relembrar o feito, o Site Oficial ouviu os dois principais personagens da goleada. Roberto César confessou a surpresa ao saber que aquela foi a maior goleada celeste no Mineirão. Ele recorda que o Cruzeiro havia terminado o Campeonato Brasileiro de 1979 em sexto lugar e vivia um bom momento.

“Naquela época o Cruzeiro estava com um time muito bom, com um ataque forte. Em 1979 tivemos uma participação boa no Campeonato Brasileiro. Jogávamos eu e o Mauro na frente. Para mim foi uma atuação normal, não havia aquilo de querer vencer por cinco ou mais gols. Jogamos com muita alegria e foi acontecendo”, comentou.

No ano anterior, Roberto César havia terminado o Brasileiro como artilheiro, ao lado de César, do América-RJ, ambos com 12 gols. Ele confessa, no entanto, que não tinha na época a gana dos goleadores e pensava mais no coletivo.

“Eu, apesar de ter sido artilheiro do Brasileiro de 1979 junto com o rapaz do América-RJ, com 12 gols, minha maneira de jogar nem sempre foi voltada para isso. Queria sempre que a gente ganhasse. Penso hoje que, se fosse mais ‘fominha’, egoísta, creio que minha carreira teria tido mais projeção. Mas não me arrependo de nada”, afirmou.

Radicado em Brasília, Roberto César hoje é fazendeiro e dono de centro de reparação de veículos na capital federal. Aos 54 anos de idade, vive tranquilo com a esposa Vera e os filhos Roberto, Rafaela e Camila.

Os cinco gols sobre o Flamengo de Varginha são o recorde de gols de Roberto César em uma mesma partida. O mesmo acontece com Mauro, com seus quatro tentos. Mas a marca poderia ter sido ainda melhor se o armador não tivesse desperdiçado um pênalti e mais dois gols anulados pelo árbitro Hélio Cosso.

“Lembro que eu fiz quatro gols e ainda perdi um pênalti. Ainda tive dois gols anulados. Esse foi o jogo em que mais marquei gols na minha carreira, não lembro de ter feito mais. O Cruzeiro estava em um momento muito bom naquela época. Foi interessante porque nós tínhamos uma equipe boa e naquele dia acertamos o jogo. Deu tudo certo”, disse Mauro.

O hoje técnico de futebol de 54 anos lembra com carinho daquele dia, muito embora não tenha sido uma partida decisiva para o time que terminaria a competição com o vice-campeonato. Os quatro gols marcados ajudaram Mauro a terminar o Campeonato Mineiro como artilheiro, com 18 gols marcados.

“Foi um negócio inédito, nunca tinha acontecido no Mineirão um placar daquele. Foi um jogo que marcou bastante para a gente, apesar de ter sido contra uma equipe do interior. Marcou uma reação do Cruzeiro no campeonato”, destacou.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: