Campeonato Brasileiro

(Principal competição de clubes do país, substituindo as extintas Taça Brasil e Taça de Prata)

CAMPEONATO BRASILEIRO 2013 – CRUZEIRO CAMPEÃO INQUESTIONÁVEL

13/11/2013 – Site http://www.goal.com

cruzeiro tricampeao brasileiroO Cruzeiro conquistou pela terceira vez o Campeonato Brasileiro. Além dos títulos de 1966 e 2003, a Raposa agora pode comemorar mais uma vez como o melhor clube do Brasil. E, em 2013, isso nunca foi tão evidente. Com uma campanha praticamente perfeita, o time dominou e conquistou o Brasileirão sem qualquer questionamento.

Para comemorar esse mais novo título do Cruzeiro, o Goal separou os momentos mais importantes da campanha, os jogos marcantes e também os principais personagens que ajudaram o clube mineiro a escrever o nome na história do Brasileirão mais uma vez.

A caminhada do Cruzeiro no Brasileirão não foi de tantos altos e baixos, mas sim com uma regularidade que nenhum outro time nacional conseguiu. A pior posição do clube mineiro durante todo o campeonato foi a 7ª colocação, situação que aconteceu apenas na terceira rodada.

Com um aproveitamento espetacular dentro de casa e outro muito bom fora de casa, a Raposa não deixou muita graça na disputa pela liderança. Jogando em Minas Gerais, a equipe conseguiu 14 vitórias, dois empates e perdeu apenas uma vez, 86% de aproveitamento. Longe de casa, foram nove resultados positivos, três empates e cinco derrotas, 56% no aproveitamento.

Após assumir a liderança na 16ª rodada, a equipe não largou o osso mais e viu Botafogo, Grêmio e Atlético-PR ficarem olhando de longe o cobiçado primeiro lugar. Na 34ª rodada, o Cruzeiro não precisou nem entrar em campo para ser campeão. A derrota do Atlético-PR para o Criciúma sacramentou a terceira conquista da equipe mineira.

O 12º JOGADOR

Jogando em na Arena Jacaré, na Independência e claro no Mineirão, o Cruzeiro contou com um forte aliado no Brasileirão. A torcida não só compareceu em peso como deu ao clube a maior média da Série A e do futebol brasileiro contando todas as divisões.

A média da equipe está em 28.714, lembrando que em alguns jogos o time atuou fora do Mineirão e isso ainda diminuiu esse número. O torcedor mineiro ainda conseguiu uma ocupação média de 55%, quarto melhor número do Brasileirão. Não é por acaso que o time conseguiu uma das melhores campanhas como mandante.

Entre os jogos com maior público do Cruzeiro, estão a vitória por 3 a 0 sobre o Grêmio, com 58.113 de torcedores no dia 10/11. A vitória pelo mesmo placar sobre o Botafogo, no dia 18/09, fica na segunda colocação com 44.504 de público. Já a derrota por 1 a 0 para o São Paulo no dia 9/10, com 40.743 é a terceira. Completa a lista a memorável virada sobre o Criciúma por 5 a 3 no dia 26/10, com 38.378 de espectadores.

O COMANDANTE

Marcelo Oliveira fez história no Atlético Mineiro como jogador profissional, por isso quando chegou ao Cruzeiro como técnico ganhou o olhar torto da maioria dos torcedores. Após ganhar destaque no Coritiba em 2011 e 2012, sendo duas vezes vice da Copa do Brasil, e fracassar no Vasco, o treinador pode finalmente ser consagrado no Cruzeiro.

O trabalho dele começou na montagem do elenco, processo que durou até o meio do campeonato. Marcelo revelou jovens como Mayke e Lucas Silva, além de acertar em cheio na troca de Willian por Diego Souza e apostar no experiente Júlio Baptista como reforço.

Além disso, ele é responsável pelo bom rendimento do meia Everton Ribeiro, que também era principal jogador no Coritiba em 2011. Aliás, existem muitas características que o Cruzeiro tem parecida com o a equipe paranaense. A força defensiva com o estilo rápido de ataque utilizando as jogadas abertas é o principal trunfo cruzeirense no Brasileirão.

Marcelo Oliveira é responsável direto por essa filosofia e, além de ser um profissional estudioso e amigo com os jogadores, conseguiu formar um ambiente que ajuda e para ele é vital. “É um trabalho coletivo, um trabalho de todos. Diretoria muito atenta, contratando bons jogadores e o trabalho do dia a dia é muito consistente”, garantiu o comandante.

OS JOGADORES

O Cruzeiro tem a segunda melhor defesa do Brasileirão e o melhor ataque. Ou seja, pelos números é o time quase perfeito. Mas alguns jogadores ganharam destaque durante a campanha. No gol, o goleiro Fábio mais uma vez mostrou que está em um nível excelente e continua sendo um dos maiores no Brasil na posição.

A zaga com Dedé e Bruno Rodrigo funcionou e se mostrou completa, apesar de nenhum dos dois terem feito um torneio primoroso, até mesmo o primeiro que voltou para a Seleção. Na lateral-direita está o jovem Mayke, talvez a principal surpresa do torneio e na esquerda até o criticado Egídio conseguiu render.

Porém, é no meio de campo que estão os dois maiores destaques do Cruzeiro no Brasileirão. O volante Nilton mostrou evolução das temporadas passadas. Além de ter encontrado em Lucas Silva a dupla ideal defensivamente, os gols marcados foram um diferencial na temporada.

E se for para falar de gol ninguém melhor que Everton Ribeiro, o meia dos golaços. É o cara do Cruzeiro, principal destaque e talvez seja o principal jogador do Brasileirão 2013. Além dos sete gols, o jogador é também o líder de assistência na equipe mineira com oito.

No ataque, Willian chegou durante a campanha, encaixou de forma quase perfeita e também é destaque com seis gols. Situação parecida com Júlio Baptista, que não conseguiu ser titular, mas no rodízio de Marcelo Oliveira é essencial para a equipe mineira. Borges é o autêntico camisa 9 e cumpre a função de forma objetiva.

AS PARTIDAS QUE MARCARAM O TÍTULO

Antes de erguer a taça, a caminhada do Cruzeiro passou por situações que ajudaram a moldar a equipe campeã. Algumas vitórias e até derrota que fizeram parte, e ajudaram, o time de Marcelo Oliveira nessa caminhada.

Cruzeiro 5 x 0 Goiás – 1ª Rodada

Impossível falar em toda a campanha e não começar pelo começo. Na estreia do Cruzeiro no Campeonato Brasileiro de 2013, o time de Marcelo Oliveira já deu indícios de que brigaria até o final por algo maior. Jogando na Arena Independência, a equipe viu Bruno Rodrigo, Nilton (duas vezes), Diego Souza e Borges marcarem na goleada sobre o Goiás.

Cruzeiro 1 x 0 Corinthians – 4ª Rodada

Vindo de uma de uma derrota por 2 a 1 para o Botafogo, o Cruzeiro enfrentou o badalado Corinthians na Arena Jacaré, em Sete Lagoas. A vitória por 1 a 0 com gol de Dagoberto serviu para mostrar a eficiência defensiva da equipe mineira. Mesmo com a boa atuação de Alexandre Pato, o goleiro Fábio brilhou e provou que seria essencial para o título.

O resultado ainda garantiu que o Cruzeiro não continuasse caindo na tabela. Depois dessa vitória, a equipe mineira nunca mais saiu do G-4 durante todo o Campeonato Brasileiro.

 Cruzeiro 4 x 1 Atlético-MG – 9ª Rodada

O Atlético Mineiro escreveu o nome na história ao ganhar a Copa Libertadores deste ano. Por isso, no dia 28/07, a equipe chegou cheia de moral para o clássico. Resultado? Um passeio do Cruzeiro sobre o rival, com direito a dois gols de Ricardo Goulart, um de Everton Ribeiro e outro do eficiente Nilton. Um resultado que mais uma vez comprovava a qualidade do elenco cruzeirense.

Além disso, a partida marcou outro fator muito importante na campanha do titulo. Em uma negociação com o Metalist, da Ucrânia, a equipe vendeu Diego Souza e assinou com o atacante Willian. Foi contra o Galo que o jogador estreou com a camisa celeste.

Ponte Preta 0 x 2 Cruzeiro – 16ª Rodada

Apesar de ter sido um resultado normal, vitória com gols de Dedé e Borges, a partida do Cruzeiro contra a Ponte Preta tem grande importância no Brasileirão. Foi com essa vitória que a equipe assumiu a liderança da competição e não deixou mais. Foram mais 17 rodadas consecutivas como líder antes do título antecipado.

Cruzeiro 3 x 0 Botafogo – 22ª Rodada

Todo campeonato de pontos corridos tem sempre uma ‘final antecipada’, e o Brasileirão 2013 não foi diferente. No dia 18/09, Cruzeiro e Botafogo eram as duas equipes que disputavam a ponta da tabela. O jogo no Mineirão serviu para a equipe mineira atropelar o alvinegro por 3 a 0, gols de Nilton e dois de Júlio Baptista.

O saldo da vitória? O Cruzeiro disparou de vezes e só parou quando foi campeão brasileiro pela terceira vez. Um jogo que foi essencial para o futuro do torneio.

Cruzeiro 0 x 2 São Paulo – 27ª Rodada

Não só de vitórias e bons resultados foi a campanha do Cruzeiro no Campeonato Brasileiro. No dia 09/10, a Raposa enfrentou o São Paulo no Mineirão e acabou derrotado por 2 a 0, com gols de Reinaldo e Douglas. Foi nessa partida também que a equipe viu Willian perder um gol feito.

Após essa rodada, a equipe ainda entrou em uma sequência ruim de três derrotas em quatro partidas, inclusive uma derrota no clássico para o Atlético-MG. Porém, esse foi único momento de sinal amarelo, que logo voltou para o verde com novos resultados positivos.

Cruzeiro 5 x 3 Criciúma – 31ª Rodada

Para encerrar a sequência ruim de jogos, o Cruzeiro enfrentou o frágil Criciúma e uma vitória que parecia ser tranquilo se transformou em uma das melhores partidas do Brasileirão. Após abrir 2 a 0 e sofrer uma virada de 3 a 2 ainda no primeiro tempo, a Raposa foi buscar de forma heroica a vitória por 5 a 3, com destaque para Borges e Dagoberto, que marcaram dois gols cada.

Criciúma 1 x 2 Atlético Paranaense – 34ª Rodada

A partida pode não ser do Cruzeiro, mas foi fundamental para a conquista. Com 58 pontos, o Atlético-PR precisa vencer o Criciúma fora de casa para se manter na disputa do Brasileirão. Porém, com gols de Fábio Ferreira e Wellington Paulista, ex-Cruzeiro, o Criciúma venceu por 2 a 1, Paulo Baier descontou, e confirmou o título cruzeirense.

Vitória 1 x 3 Cruzeiro – 34ª Rodada

O Cruzeiro entrou em campo e, no intervalo, já ficou sabendo que era campeão brasileiro. Porém, a partida contra o Vitória marcou a rodada que a equipe foi campeã. E o time ainda marcou com mais um resultado positivo. Com gols de Willian, Júlio Baptista e Ricardo Goulart, a equipe venceu.

♦ CLASSIFICAÇÃO – CAMPEONATO BRASILEIRO 2013: (CLIQUE AQUI)

____________________________________

A História do Campeonato Brasileiro

O Campeonato Brasileiro, conhecido nos seus primeiros anos como Campeonato Nacional, foi a sucessão natural do Torneio Roberto Gomes Pedrosa ou Taça de Prata, que por sua vez havia sido o resultado da expansão do Rio-São Paulo. O Campeonato Brasileiro foi disputado sobre as mais diversas formas, chegando a ter 96 participantes em 1979.De 1971 a 1989, o campeão e o vice estavam classificados para a Copa Libertadores do ano seguinte.

ANO CAMPEÃO VICE TERCEIRO
—– ————- ————- ————-
1971 Atlético-MG São Paulo Botafogo
1972 Palmeiras Botafogo Internacional
1973 Palmeiras São Paulo Cruzeiro
1974 Vasco da Gama Cruzeiro Santos
1975 Internacional Cruzeiro Fluminense
1976 Internacional Corinthians Atlético-MG
1977 São Paulo Atlético-MG Operário-MS
1978 Guarani Palmeiras Internacional
1979 Internacional Vasco da Gama Coritiba
1980 Flamengo Atlético-MG Internacional
1981 Grêmio São Paulo Ponte Preta
1982 Flamengo Grêmio Guarani
1983 Flamengo Santos Atlético-MG
1984 Fluminense Vasco da Gama Grêmio
1985 Coritiba Bangu Brasil-Pelotas
1986 São Paulo Guarani Atlético-MG
1987 Sport Guarani Flamengo
1988 Bahia Internacional Fluminense
1989 Vasco da Gama São Paulo Cruzeiro

……. a partir de 1990, só o campeão vai para a Libertadores

1990 Corinthians São Paulo Grêmio
1991 São Paulo Bragantino Atlético-MG
1992 Flamengo Botafogo Vasco
1993 Palmeiras Vitória Corinthians
1994 Palmeiras Corinthians Guarani
1995 Botafogo Santos Cruzeiro
1996 Grêmio Portuguesa Atlético-MG
1997 Vasco da Gama Palmeiras Internacional
1998 Corinthians Cruzeiro Santos

……. a partir de 99, vão para a Libertadores o campeão, o
vice e os melhores colocados de outras competições

1999 Corinthians Atlético-MG São Paulo
2000 Vasco da Gama São Caetano Cruzeiro
2001 Atlético-PR São Caetano Fluminense
2002 Santos Corinthians Grêmio

……. a partir de 2003, o campeonato passa a ser disputado por
pontos corridos; vão para a Libertadores os quatro melhores
colocados além dos melhores colocados de outras competições

ANO CAMPEÃO VICE TERCEIRO QUARTO
—– ————- ————- ————- ————-
2003 Cruzeiro Santos São Paulo São Caetano (Coritiba, vai para a Libertadores)
2004 Santos Atlético-PR São Paulo Palmeiras
2005 Corinthians Internacional Goiás Palmeiras
2006 São Paulo Internacional Grêmio Santos (Paraná, vai para a Libertadores)
2007 São Paulo Santos Flamengo Fluminense (Cruzeiro, vai para a Libertadores)
2008 São Paulo Grêmio Cruzeiro Palmeiras
2009 Flamengo Internacional São Paulo Cruzeiro
______________________________________________

CRUZEIRO É O MELHOR DE MINAS NA HISTÓRIA DOS CAMPEONATOS BRASILEIROS

Fonte: http://www.conteudoesportivo.com.br (2008)

De acordo com o levantamento dos números de todos os Campeonatos
Brasileiros disputados, a partir de 1971.

Em Minas Gerais, o Cruzeiro lidera as estatísticas, seguido por
Atlético e América. Dentre os clubes do interior do estado, o
Uberaba é o de melhor retrospecto com maior número de pontos,
gols marcados e participações. O Villa Nova se iguala ao “colorado
do Triângulo Mineiro” no número de vitórias e de jogos.

Confira abaixo os rankings dos principais critérios do Campeonato
Brasileiro:

Ranking de Pontos Ganhos

• 1 – São Paulo (1.357)
• 2 – Internacional (1.309)
• 3 – Santos (1.269)
• 4 – Cruzeiro (1.266)
• 4 – Corinthians (1.266)
• 6 – Vasco da Gama (1.249)
• 7 – Flamengo (1.229)
• 8 – Atlético-MG (1.222)
• 9 – Palmeiras (1.221)
• 10 – Grêmio (1.164)
• 33 – America-MG (239)
• 61 – Uberaba (60)
• 64 – Villa Nova (56)
• 66 – Uberlandia (54)
• 106 – Caldense (17)
___________________________

Ranking de Vitórias

• 1 – São Paulo (432)
• 2 – Internacional (419)
• 3 – Corinthians (398)
• 4 – Santos (397)
• 5 – Cruzeiro (396)
• 6 – Flamengo (395)
• 7 – Palmeiras (394)
• 8 – Atlético-MG (388)
• 9 – Vasco (388)
• 10 – Grêmio (380)
• 36 – America-MG (66)
• 60 – Uberaba e Villa Nova (21)
• 61 – Uberlandia (20)
• 100 – Caldense (07)
___________________________

Ranking de Gols

• 1 – São Paulo (1.476)
• 2 – Vasco (1.418)
• 3 – Cruzeiro (1.372)
• 4 – Santos (1.358)
• 5 – Atlético-MG (1.330)
• 6 – Internacional (1.306)
• 7 – Flamengo (1.299)
• 8 – Palmeiras (1.295)
• 9 – Corinthians (1.267)
• 10 – Grêmio (1.178)
• 34 – America (264)
• 61 – Uberaba (71)
• 64 – Uberlandia (69)
• 68 – Villa Nova (63)
• 112 – Caldense (15)
___________________________

Ranking de Jogos

• 1 – Vasco (960)
• 2 – Corinthians (958)
• 3 – Flamengo (949)
• 4 – Internacional (948)
• 5 – São Paulo (945)
• 6 – Cruzeiro (931)
• 7 – Santos (923)
• 8 – Atlético (916)
• 9 – Grêmio (902)
• 10 – Palmeiras (869)
• 31 – America (261)
• 66 – Uberaba e Villa Nova (71)
• 70 – Uberlandia (65)
• 111 – Caldense (16)
• 129 – Ipatinga (1)
___________________________

Ranking de Participações

• 1 – Vasco, Flamengo, Cruzeiro e Internacional (38)
• 2 – Atlético, Botafogo, São Paulo e Santos (37)
• 3 – Corinthians e Palmeiras (36)
• 33 – America-MG (13)
• 53 – Uberaba (6)
• 68 – Villa Nova, Uberlandia (4)
• 105 – Caldense e Ipatinga (1)
______________________________________________

Relação dos Clubes que terminaram o Campeonato Brasileiro com o maior número de vitórias

Note que o Cruzeiro foi o vitorioso em 5 campeonatos.
• 1966 – Cruzeiro 7
• 1989 – Vasco, Cruzeiro e Botafogo 9
• 1996 – Gremio, Portuguesa, Cruzeiro e Guarani 14
• 2003 – Cruzeiro 31
• 2008 – São Paulo, Grêmio e Cruzeiro 21
___________________________

POSIÇÕES DO CRUZEIRO NOS CAMPEONATOS BRASILEIROS

• 1971 – 08.º
• 1972 – 06.º
• 1973 – 03.º
• 1974 – 02.º
• 1975 – 02.º
• 1976 – 19.º
• 1977 – 16.º
• 1978 – 10.º
• 1979 – 06.º
• 1980 – 10.º
• 1981 – 19.º
• 1982 – 21.º
• 1983 – 17.º
• 1984 – 33.º
• 1985 – 29.º
• 1986 – 08.º
• 1987 – 04.º
• 1988 – 04.º
• 1989 – 03.º
• 1990 – 10.º
• 1991 – 16.º
• 1992 – 08.º
• 1993 – 15.º
• 1994 – 22.º
• 1995 – 03.º
• 1996 – 05.º
• 1997 – 05.º
• 1998 – 02.º
• 1999 – 05.º
• 2000 – 03.º
• 2001 – 21.º
• 2002 – 09.º
• 2003 – 01.º
• 2004 – 13.º
• 2005 – 08.º
• 2006 – 10.º
• 2007 – 05.º
• 2008 – 03.º
• 2009 – 04.º
___________________________

ARTILHEIROS DOS CAMPEONATOS BRASILEIROS

1979: Roberto César (CRUZEIRO) – 12 gols.
1998: Viola (Santos) 21 gols; Marcelinho (Corinthians) 19; Fábio Júnior (CRUZEIRO) e Valdir (Atlético) 18.
1999: Guilherme (Atlético/MG), com ? gols. Alex Alves (CRUZEIRO) até quando jogou foi o artilheiro com 23 gols, sendo o vice-artilheiro final.
___________________________

MAIORES ARTILHEIROS DO CRUZEIRO EM BRASILEIROS

1971: Tostão (9)
1997: Marcelo Ramos (10)
1996 Palhinha (10)
1991: Charles (11)
1993: Ronaldinho (12)
1979: Roberto César (12)
1978: Roberto César (12)
1975: Nelinho (12)
1995: Marcelo Ramos (14)
1998: Fábio Júnior (18)
* até 6 de novembro de 1999
2002: Fábio Júnior (?)
___________________________

ALGUNS DESTAQUES DO CRUZEIRO

1974:  Um momento de glória podado por tramas. Pelo regulamento, a partida contra o Vasco teria que ser disputada no Mineirão, pois era o Cruzeiro quem somava maior número de pontos. No entanto, em trama armado pelo Almirante Heleno Nunes, o Vasco levou a decisão para o Maracanã e acabou ficando com o título. Detalhe importante é que aos 43 minutos Armando Marques anulou um gol legítimo de Zé Carlos (inventou um impedimento na cabeçada), contra o Vasco – o gol daria o título ao Cruzeiro. O goleiro titular Raul estava fora do jogo, Luiz Antonio o substituiu.

1975:  Semi-final: Cruzeiro 3 x 2 Santa Cruz (Zé Carlos, Palhinha, Palhinha).

1979: Roberto César foi o artilheiro, com 12 gols, juntamente

1985: Edmar, que mais tarde jogou no Cruzeiro foi o artilheiro do campeonato.

1990: Charles, que mais tarde jogou no Cruzeiro foi o artilheiro do campeonato.

1991: Paulinho McLaren, que mais tarde jogou no Cruzeiro foi o artilheiro do campeonato.

1993: Ronaldo, com apenas 17 anos, poderia ter sido o artilheiro do campeonato – fez 12 gols -, mas acabou superado, já que o Cruzeiro foi eliminado das semifinais.

1995: O Cruzeiro teve a melhor campanha no 1.º turno, sendo campeão do Grupo A (25 pontos em 11 jogos), tendo ainda o melhor ataque (23 gols, média de 2,09 por jogo) e tendo também o artilheiro da turno (Marcelo, com 10 gols, ao lado de Túlio do Botafogo). Só não fomos à final devido termos tido pior campanha que o Botafogo na 1.º fase; 3º melhor desempenho no quesito gols (41 gols em 25 jogos, média de 1,64); tivemos o 3.º melhor desempenho na classificação geral (em 25 jogos, 41 pontos); tivemos a 4.º renda, mas na média de público ficamos em 3.º (14.704). Semifinais (Cruzeiro 1 x 1 Paulinho), (Botafogo 0 x 0 Cruzeiro).

1996: Fomos 2.º na classificação geral (25 jogos, 14 vitórias, 5 empates, 6 derrotas, 47 pontos); 2.º melhor aproveitamento (66,66%); 2.ª defesa menos vazada (média de 0,68 gols contra), melhor posse de bola (média de 30min46s), 2.ª melhor renda (170 mil), melhor média de público (18.707); 2.º no número de passes por minuto (média de 11,9 minuto); Nonato como 2.º mais acionado e Vítor o 9.º; Fabinho foi o melhor passador (93,1% de eficiência); Gilmar (zagueiro) como 5.º melhor na posição, Ricardinho (volante – 6.º), Serginho (lateral esquerdo – 2.º) e Palhinha (meia – 3.º).

1997: Campanha ruim. Ano que contratamos Marcelo Ramos, que marcou o gol de Brasileiros mais rápido: aos 12 segundos, na vitória por 2 a 0 sobre o Corinthians no Mineirão.

1998: 32 jogos (14 vitórias, 9 empates, 9 derrotas). O Cruzeiro se mostrou cheio de alternativas. Tivemos união fora e dentro de campo. Já éramos favoritos antes de começar o campeonato, e, após fase negra, readquirimos esse direito, e nos tornamos o melhor time do certame. Nossas façanhas: fomos o time que permaneceu mais tempo com a bola nos pés; Fábio Júnior, além de ter sido o 3.º artilheiro, com 18 gols, foi a revelação do campeonato em votação feita pela CBF, o jogador que mais atuou e que recebeu maior número de faltas; o gol de Alex Alves, contra a Portuguesa, na semifinal, foi escolhido o mais bonito da fase final do campeonato; na seleção do campeonato tivemos Dida, Djair, Valdo e Fábio Júnior. 1.ª fase: Cruzeiro 1 x 1 Atlético MG; Cruzeiro 4 x 1 América MG; Cruzeiro 3 x 1 Palmeiras; Cruzeiro 0 x 2 América RN; Cruzeiro 4 x 2 Ponte Preta; Cruzeiro 4 x 0 Coritiba; Cruzeiro 2 x 2 Portuguesa; Cruzeiro 1 x 1 Flamengo; Cruzeiro 1 x 2 Santos; Cruzeiro 0 x 2 Grêmio; Cruzeiro 0 x 2 Vitória; Cruzeiro 5 x 0 Juventude (Marcelo Ramos 3’, Marcelo Ramos 28’, Marcos Paulo 34’, Vagner 75’ e Alex Alves 89’); Atlético PR 1 x 2 Cruzeiro; Internacional 3 x 1 Cruzeiro; Botafogo 1 x 1 Cruzeiro; Paraná 1 x 2 Cruzeiro; Bragantino 0 x 4 Cruzeiro; São Paulo 0 x 2 Cruzeiro; Corinthians 1 x 2 Cruzeiro; Sport 1 x 1 Cruzeiro; Goiás 0 x 0 Cruzeiro; Vasco 2 x 0 Cruzeiro; Guarani 2 x 2 Cruzeiro. 7.º lugar (37 pontos, 5 vitórias em casa, 5 vitórias fora de casa, 7 empates e 6 derrotas, 42 gols a favor e 28 gols sofridos). 2.ª fase (oitavas de final): Cruzeiro 2 x 1 Palmeiras; Palmeiras 2 x 1 Cruzeiro – Djair; Palmeiras 2 x 3 Cruzeiro – Marcelo Ramos, Marcelo Ramos, Fábio Júnior. 3.ª fase (semifinais): Cruzeiro 3 x 1 Portuguesa – Marcelo Ramos, Fábio Júnior, Alex Alves (golaço); Portuguesa 2 x 1 Cruzeiro – Marcelo Djian; Portuguesa 0 x 1 Cruzeiro – Djair. Final: a final foi uma decisão de Gigantes, durante os três jogos – pura adrenalina. O título caberia a qualquer um dos dois. Suas forças eram equivalentes, ambos foram competentes e tinham dois grandes treinadores. Cruzeiro 2 x 2 Corinthians (Müller, Valdo); Corinthians 1 x 1 Cruzeiro (Marcelo Ramos); Corinthians 2 x 0 Cruzeiro (Edilson e Marcelinho). Seleção do Brasileiro (pela CBF): DIDA, Arce (Palmeiras), Gamarra (Corinthians), César (Portuguesa), Felipe (Vasco); Vampeta (Corinthians), DJAIR, VALDO, Jackson (Sport); FÁBIO JÚNIOR, Viola (Santos). Seleção Mineira (pela Alterosa Esporte): DIDA, Estevão (América), MARCELO DJIAN, Galvan (Atlético), GILBERTO; MARCOS PAULO, VALDO, Edgar (Atlético), Lincoln (Atlético); FÁBIO JÚNIOR, Marques (Atlético). Pela Alterosa Esporte Fábio Júnior também é escolhido como revelação mineira do ano e Levir Culpi escolhido o melhor treinador.

1999: Terminamos a fase classificatória em 2.o lugar, e jamais saímos de uma posiçao boa durante toda essa fase (até chegamos a ser considerado o melhor time em grande parte dessa fase), sendo que fomos o time que menos perdeu (3 derrotas em 21 partidas), marcamos 50 gols, com saldo de 11 gols. No geral ficamos em 5.o lugar. Alguns jogos do Cruzeiro: Cruzeiro 4 x 1 Botafogo-RJ (Alex Alves, Espínola, Marcelo Ramos, Alex Alves); Juventude 0 x 0 Cruzeiro; Cruzeiro 3 x 1 Inter; Coritiba 2 x 2 Cruzeiro (Alex Alves, Muller); Cruzeiro 2 x 1 São Paulo (Alex Alves, Ricardinho); Cruzeiro 3 x 1 Atlético-PR (Alex Alves, Donizeti Amorim, Ricardinho); 28/8: Gama 2 x 3 Cruzeiro (Alex Alves, Alex Alves, Marcelo Ramos). Tivemos em Alex Alves a artilharia do campeonato enquanto estávamos lá (ele comemorava jogando capoeira, 22 gols). O Herta Berlin, da Alemanha, o comprou, me parece por R$ 15 milhoes.

2000 (Intitulado Copa Joao Havelange): Fizemos a melhor campanha da 1.a fase, com 3 pontos de vantagem sobre o segundo colocado, daí recebemos o troféu intitulado ‘Vencedor do Módulo Azul da Copa João Havelange’. Troféu esse entregue no nosso primeiro jogo da 2.ª fase (Malutron 0 x 3 Cruzeiro Jackson, Jackson e Sorín). Chegamos pela nona vez a uma semi-final, após desclassificarmos o Internacional (Inter 1 x 1 Cruzeiro, Cruzeiro 3 x 2 Inter).

2002: Até 5 rodadas antes da primeira fase não íamos bem, no início até estávamos na zona de rebaixamento, no final ganhamos várias partidas seguidas, empatamos algumas e chegamos à última rodada com chance de ficarmos entre os 8 classificados (única chance em todo campeonato), e de fato ficamos em 8.° lugar, junto com o Santos, mas perdemos a vaga no saldo de gols. O Santos foi avançando e ganhou o título em cima do Corínthians. Nossos maiores destaques: Fábio Júnior, Gomes II (goleiro), Luisão e Alex

2003: Veja no tópico em separado (Tríplice Coroa).

2007: Fomos o melhor ataque, com 73 gols
___________________________

CONFRONTOS COM O ATLÉTICO EM CAMPEONATOS BRASILEIROS

• 1971: 1 a 1 – João Ribeiro
• 1972: 0 a 0
• 1974: 1 a 2 – Lima
• 1975: 2 a 2 – Roberto Batata e Nelinho
• 1977: 0 a 1
• 1978: 1 a 2 – Nelinho
• 1978: 2 a 0 – Joãozinho (2)
• 1978: 0 a 0
• 1979: 1 a 1 – Joãozinho
• 1979: 0 a 0
• 1985: 0 a 2
• 1985: 3 a 2 – Edu Lima (2) e Tostão II
• 1987: 0 a 0
• 1987: 1 a 1 – Douglas
• 1987: 0 a 0
• 1988: 0 a 0
• 1989: 1 a 0 – Heyder
• 1990: 0 a 2
• 1991: 2 a 2 – Heyder e Charles
• 1992: 0 a 2
• 1994: 0 a 1
• 1994: 0 a 1
• 1995: 0 a 2
• 1996: 2 a 1 – Palhinha II e Paulinho
• 1997
• 1998 – 1 a 1 – Valdo
• 1999 – ? a ?; 2 a 4 e 2 a 3
___________________________

RANKING CAMPEONATO BRASILEIRO

1997: O Cruzeiro era o 9.º, 556 jogos, 229 vitórias, 183 empates, 144 derrotas, 667 pontos (Estado de Minas).

1998: 1 (Internacional, 826), 2 (Palmeiras, (823), 3 (Atlético, 823), 8 (Grêmio), 10 (Santos), 11 (Botafogo), 12 (Fluminense), 13 (Portuguesa). Cruzeiro soma então 588 jogos, com 243 vitórias, 153 empates e 153 derrotas (ganhamos 51 pontos neste ano)

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

%d bloggers like this: